Campo Grande/MS, Terça-Feira, 20 de Agosto de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Colunistas
Terça-Feira, 16 de Abril de 2019, 18h:58
Tamanho do texto A - A+
Colunistas

“É censura”, diz Marco Aurélio sobre ordem para retirar do ar matérias citando Toffoli

Por Marco Eusébio

Da coluna Entrelinhas da Notícia
Artigo de responsabilidade do autor

TV Globo/Reprodução

ColunaMarcoEusébio

Marco Aurélio: 'Isso, pra mim, é inconcebível. Prevalece a liberdade de expressão, para mim é censura'

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo, disse hoje ao Estadão que houve "censura" e "retrocesso em termos democráticos" na ordem do colega Alexandre de Moraes que mandou a revista digital Crusoé e o site O Antagonista tirarem do ar a matéria “O amigo do amigo do meu pai”, que cita o presidente da Corte, Dias Toffoli. "Isso, pra mim, é inconcebível. Prevalece a liberdade de expressão, para mim é censura", afirmou Marco Aurélio. "Eu não vi nada de mais no que foi publicado com base em uma delação. O homem público é, acima de tudo, um livro aberto. É um retrocesso em termos democráticos”, acrescentou, sobre a ordem para retirar as notícias dos sites.

 

• • • • •

 

Raquel Dodge arquiva inquérito de Toffoli contra críticas a ministros do Supremo

Fotos Reprodução

ColunaMarcoEusébio

Inquérito aberto de ofício por Toffoli contra supostas 'fake news' foi arquivado pela procuradora-geral da República Raquel Dodge

A Procuradoria Geral da República anunciou o arquivamento do inquérito aberto por Dias Toffoli, por ofício, para apurar supostas "fake news" e ataques ao Supremo e aos ministros da Corte. No site da PGR informa que a procuradora-geral Raquel Dodge informou o arquivamento ao relator no STF, Alexandre de Moraes, afirmando que as medidas já autorizadas – censura à notícia veiculada pela revista eletrônica Crusoé, ao site O Antagonista e bloqueio de redes sociais de críticos do Supremo determinados hoje por Moraes –, não foram pedidas nem acompanhadas pelo Ministério Público, responsável por eventual apresentação de denúncia. "A providência tem como fundamento o respeito ao devido processo legal e ao sistema penal acusatório estabelecido na Constituição de 1988, segundo o qual o Ministério Público é o titular exclusivo da ação penal, fato que provoca efeitos diretos na forma e na condução da investigação criminal", diz a PGR. Veja aqui a íntegra.

 

 

   Leia a coluna de hoje clicando aqui em Marco Eusébio in Blog

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix