Campo Grande/MS, Domingo, 20 de Maio de 2018 | 13:42
27˚
(67) 3042-4141
Colunistas
Segunda-Feira, 12 de Fevereiro de 2018, 15h:36
Tamanho do texto A - A+
Colunistas

Ex-BBB de MS prefere ficar no PT, mas sugeriu a Lula levar o partido ao divã

Por Marco Eusébio

Da coluna Entrelinhas da Notícia
Artigo de responsabilidade do autor

Do álbum do Mamão para o www.MarcoEusebio.com.br

ColunaMarcoEusébio

Olho nos olhos: 'O PT precisa ser levado ao divã' sugeriu o ex-BBB Mamão a Lula

Em meio ao êxodo de lideranças regionais do partido (leia abaixo PT faz 38 anos sem comemoração em MS) há quem prefira ficar na sigla em Mato Grosso do Sul. Um resistente é o advogado Ilmar Renato Fonseca, o Mamão. Em julho do ano passado, após ficar conhecido em nível nacional por participar do Big Brother Brasil 17 da Globo, Mamão se encontrou com Lula no Congresso Nacional do PT em Brasília, e sugeriu ao ex-presidente:

– "O PT precisa ser levado ao divã".

Com 39 anos, um há mais do que o partido do qual é filiado há 22, Mamão foi secretário de Juventude do PT de Campo Grande nos anos 2000 e agora quer disputar uma cadeira de deputado federal, mas admite que enfrenta resistências internas à sua candidatura. Mesmo assim, rejeita conselhos para buscar outro partido. Acredita que, se fizer "uma autoanálise" e "buscar sua essência, o PT vai se recuperar".

 

• • • • •

 

PT faz 38 anos, sem comemoração em MS

Twitter Reprodução

ColunaMarcoEusébio

Fotos antigas do PT-MS postadas por Vander Loubet no Twitter um dia depois do aniversário da sigla

O PT completou 38 anos no sábado, dia 10, sem comemorações em Mato Grosso do Sul, um dos primeiros estados que a sigla comandou no País, ao eleger Zeca governador em 1998. A data foi apenas lembrada, uma semana antes, no dia 2, em reunião do diretório regional, hoje presidido por Zeca. Encolhendo no estado, o partido não tem muito o que comemorar.

Desde que Zeca deixou o governo no fim de 2006, o PT perdeu lideranças que marcaram sua história regional. Em meio à crise nacional que começou com o caso "Mensalão" e se estende com o "Petrolão", em MS as disputas regionais e a busca por novos espaços políticos também marcaram a debandada no PT.

De lá para cá, saíram o ex-deputado Semy Ferraz, os ex-prefeitos de Corumbá Ruiter Cunha (in memorian) e Paulo Duarte, o ex-senador Delcídio do Amaral, o ex-deputado federal Antonio Carlos Biffi e, na semana passada, o ex-vereador da Capital Marcos Alex, que deixou de usar o apelido "Alex do PT" pelo qual ficou conhecido; sem contar todos os prefeitos eleitos em 2012.

Das lideranças que ficaram, um dos poucos a lembrar os 38 anos do PT nas redes sociais foi Vander Loubet. O deputado federal postou no domingo, no Twitter, sua avaliação de que o PT teve "mais acertos do que erros" desde sua criação, e disse acreditar que o partido "segue mais vivo do que nunca na luta por um Brasil onde todos possam ter uma vida digna e não apenas minoria de privilegiados". Veja a íntegra abaixo.

 

 

 

   Leia a coluna de hoje clicando aqui em Marco Eusébio in Blog

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix