Campo Grande/MS, Sexta-Feira, 28 de Abril de 2017 | 15:58
27˚
(67) 3042-4141
Colunistas
Terça-Feira, 07 de Março de 2017, 18h:40
Tamanho do texto A - A+
Colunistas

Lídio ameaça deixar base de Azambuja depois de Beto Pereira conquistar comando da CCJ

Da coluna Entrelinhas da Notícia

Por Marco Eusébio
Artigo de responsabilidade do autor

Victor Chileno/ALMS

ColunaMarcoEusébio

Lídio com os petistas Kemp, Grandão e Amarildo: próximo da oposição

O deputado Lídio Lopes (PEN) ameaça deixar a base aliada do governo Azambuja e o bloco do PMDB, que inclui o PDT e seu partido, depois de perder hoje para o tucano Beto Pereira a disputa pela presidência da CCJ, a mais importante comissão da Assembleia. Lídio disse ao Blog que havia um acordo com o governador e com seu chefe da Casa Civil, Sérgio de Paula, que não foi cumprido. Na avaliação dele, isso ocorreu por causa de seu apoio à eleição de Marquinhos Trad (PSD) para prefeito de Campo Grande, com sua esposa Adriane (PEN) de vice; e à Délia Razuk (PSB) que se elegeu prefeita em Dourados, ambos derrotaram candidatos tucanos, respectivamente a vice-governadora Rose Modesto e o deputado federal Geraldo Resende, respectivamente. "O acordo não foi cumprido, com certeza, por causa das eleições" declarou Lídio.

 

• • • • •

 

O articulador da eleição na CCJ

Victor Chileno/ALMS

ColunaMarcoEusébio

Rocha com Márcio Fernandes e o líder do governo Rinaldo Modesto

Líder do bloco do PMDB, que inclui o PDT e o PEN, o deputado Eduardo Rocha, embora não faça parte da CCJ foi o principal articulador da eleição interna que conduziu hoje o deputado Beto Pereira (PSDB) à presidência da mais importante comissão da Assembleia, conforme seu colega de partido Renato Câmara. Consultado sobre as queixas de Lídio Lopes que acusou o governo de romper acordo feito com ele (leia a nota acima), Rocha respondeu ao Blog:

– "Meu acordo com o Lídio era garantir a participação dele na CCJ, o que foi cumprido. Se fez acordo com outras pessoas, isso é entre eles".

Vale lembrar: nenhum antecessor de Azambuja, incluindo André Puccinelli (PMDB) e Zeca do PT, deixou de manter aliado próximo no comando da CCJ.

 

 

  Leia a coluna de hoje clicando aqui em Marco Eusébio in Blog

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix