Campo Grande/MS, Segunda-Feira, 27 de Maio de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Colunistas
Sexta-Feira, 15 de Março de 2019, 18h:57
Tamanho do texto A - A+
Colunistas

Ofensa “fere a democracia”, diz MP de MS após críticas do ministro Gilmar Mendes

Por Marco Eusébio

Da coluna Entrelinhas da Notícia
Artigo de responsabilidade do autor

Nelson Jr./STF

ColunaMarcoEusébio

Sessão do Supremo que aprovou por 6 votos a 5 ontem a competência da Justiça Eleitoral para julgar crimes com caixa 2

Sem citar nomes, o Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul (MPE-MS) divulgou nota hoje discordando de "comportamento e as palavras proferidas" na sessão de ontem do Supremo, afirmando que "fere a democracia" ofensa contra "membros do Ministério Público e a própria Instituição", um dia depois de o ministro ter disparado críticas contra ministros do MPF, chamando-os "gangster", "covarde", "gentalha". "Se eles estudaram em Harvard ou em alguma coisa, não aprenderam nada, são uns cretinos, não sabem o que é processo", disparou Gilmar (veja aqui trecho da fala do ministro em vídeo). As declarações de Gilmar foram feitas ao votar a favor de que a Justiça Eleitoral possa investigar casos de corrupção quando envolverem caixa 2 de campanha e outros crimes comuns. O ministro rebateu críticas de procuradores, que afirmaram que a decisão do Supremo seria um "golpe" contra a Lava Jato. Leia a íntegra da nota do MP-MS:

 

"Nota Pública

O Ministério Público de Mato Grosso do Sul manifesta sua discordância com o comportamento e as palavras proferidas na sessão de ontem (14.3.2019) do Supremo Tribunal Federal contra membros do Ministério Público brasileiro, não sendo atitude esperada de um Ministro que compõe a mais alta Corte de Justiça que, ao proferir seu voto, ofenda membros do Ministério Público e a própria Instituição, uma vez que tal conduta fere a democracia.

O respeito às decisões emanadas do Poder Judiciário é obrigação de todos que integram o sistema de justiça, mas deve ser repudiada toda e qualquer manifestação que ultrapasse os limites previstos na Lei Orgânica da Magistratura (Lei Complementar nº 35/1979), especialmente quando externada por um Ministro do Supremo Tribunal Federal, por ser o órgão de cúpula do Poder Judiciário.

O Ministério Público de Mato Grosso do Sul, por meio de seu Procurador-Geral de Justiça, reafirma a confiança em todos os membros do Ministério Público brasileiro, os quais trabalham diariamente pela construção de uma sociedade mais justa, nos exatos termos da Constituição Federal, das Constituições dos Estados e das leis.

Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Su"

 

 

   Leia a coluna de hoje clicando aqui em Marco Eusébio in Blog

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix