Campo Grande/MS, Segunda-Feira, 27 de Fevereiro de 2017 | 11:45
27˚
(67) 3042-4141
Colunistas
Domingo, 25 de Setembro de 2016, 10h:36
Tamanho do texto A - A+
Colunistas

Os "Mato Grosso" agradecem ao Pedro Pedrossian o "tocador de obras"

Os dois estados cujo sentimento de gratidão será eterno ao ex-governador

Roberto Costa
Na Tarraqueta

Deurico/Capital News

Pedro Pedrossian

ex-governador dos "Matos" Pedro Pedrossian

IRRETOCÁVEL – O Mato Grosso uno e o Mato Grosso do Sul são dois estados cujo sentimento de gratidão será eterno ao ex-governador Pedro Pedrossian, “o tocador de obras”.
**

REMÉDIO AMARGO – Não se trata de um pacote de maldade, mas se as medidas que brevemente serão anunciadas pelo governo não forem tomadas, a economia brasileira dificilmente conseguirá sair do fundo do poço.
**

REMÉDIO AMARGO I – A Contribuição Provisória sobre Transação Financeira (CPMF) está descartada por imposição dos ricos. O pobre sequer tem o direito de ter direito de contestar alguma coisa.
**

LIDERANDO – A disputa pelo comando administrativo da prefeitura de Três Lagoas, que há 12 tem o PMDB no domínio, tudo indica que a transição será efetivada dia 2 de outubro com a eleição de um neotucano, Angelo Guerreiro.
**

PRIMEIRO TURNO – Se os institutos Valle Consultoria, Ipems e Ibope continuarem registrando números positivos em favor de Marquinhos Trad (PSD), a fatura será liquidada no dia 2 de outubro.
**

REELEIÇÃO – Se o resultado das urnas não for favorável aos candidatos tucanos em Campo Grande, Dourados e Corumbá, o projeto político do governador Reinaldo Azambuja estará seriamente comprometido.
**

ARTICULAÇÃO – Andam dizendo por aí que o ex-governador André Puccinelli (PMDB), e o ex-prefeito de Campo Grande, Nelson Trad Filho (PTB), estariam se preparando paras eleições de 2018.
**

ARTICULAÇÃO I – Especialistas em bastidores da política preveem que Puccinelli disputará o Governo, enquanto Nelsinho buscaria acomodação política no Senado da República.
**

JUSTIÇA EFICIENTE – O presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, desembargador João Maria Lós, tem sido cumprimentado pela gestão profícua que vem empreendendo.
**

NEM SENDO CORDEIRO – O quadro político (prefeito e vereador) nos 79 municípios de Mato Grosso do Sul deixa transparecer que o processo de renovação será acachapante.
**

SERÁ? – Dizem que o dinheiro que foi apreendido pela Polícia Rodoviária Federal (R$ 1.239.575), possivelmente seria usado na compra de votos em Campo Grande. Cabe investigação do Ministério Público Estadual.
**

VALOR INESTIMÁVEL – É sempre oportuno lembrar que “comprar voto é crime” com pena que vai da perda do mandato a inelegibilidade por até 8 anos.
**

VALOR INESTIMÁVEL I - A Lei nº 12.034 de 2009 afirma que não é preciso haver um pedido explícito pelo voto para ser considerada conduta ilícita, basta ser comprovado o dolo do ato.
**

VALOR INESTIMÁVEL II – O cidadão que for pego vendendo voto pode sofrer pena de um a quatro anos de reclusão e está sujeito a pagamento de multa.
**

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix