Campo Grande/MS, Quarta-Feira, 17 de Julho de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Colunistas
Terça-Feira, 25 de Dezembro de 2018, 12h:47
Tamanho do texto A - A+
Colunistas

México abre primeiro museu de memes do mundo – mas por apenas dois dias

Por Gustavo Torniero

Da coluna Tecnologia
Artigo de responsabilidade do autor

Projeto de uma marca de refrigerantes reuniu os memes mais famosos das redes sociais em um edifício da Cidade do México

Istock Photos

ColunaTecnologia

O México abriu, ainda que por apenas dois dias, o primeiro museu de memes do mundo: entre 7 e 9 de dezembro, um espaço aberto na Cidade do México, capital do país, expôs alguns dos memes mais populares que circulam pelas redes sociais mundiais nos últimos anos.

O museu, na região norte da capital mexicana, foi dirigido por um curador de memes, Eduardo Granja, dono de uma conta famosa no México chamada Memelas de Orizaba, e teve o patrocínio de uma marca de refrigerantes. Granja, no entanto, foi o encarregado de selecionar quais imagens entraram na exposição.

A ideia, segundo ele, era recolher desde os mais conhecidos a nível internacional, como o vídeo de animação do gato Nyan, e um rosto sorrindo que ficou conhecido como "troll" (o primeiro meme da história), até memes mais localizados, como o de uma mulher tentando tirar um capacete aberto sem desafivelar as alças sobre o rosto.

Os memes, no entanto, foram reinterpretados por artistas locais, como Rilke e Odette Paz. Para Granja, a ideia era mais do que apenas expor os memes, mas explicá-los: "O que eu pensei quando me falaram do projeto é que os memes já têm uma década de vida. O boom das redes sociais e do Twitter foi acompanhado pelo surgimento deles, entre 2007 e 2008", disse. "Muitas das imagens, como intervenções artísticas, são situações em que todos nós podemos nos identificar", completou.

O coordenador do museu também afirmou que queria mostrar uma intenção própria com o projeto. Ele considera que já se passou o tempo para ver como os memes mudaram a vida das pessoas. "Acredito que hoje os memes se tornaram um meio de comunicação. Eles têm uma força cultural importante e, assim, é sensacional que se realize algo em torno deles como esse museu", comemorou.

Brasil
O Brasil, contudo, não pode reclamar: a Universidade Federal Fluminense (UFF) abriu em abril de 2017 seu museu virtual de memes. Obra dos alunos do Departamento de Estudos Culturais e Mídia e coordenador pelo professor Viktor Chagas, o projeto não apenas tenta dar conta de um acervo que não para de crescer, como procura estudar essa nova forma de circulação de informação.

O acervo faz parte de uma série de pesquisas e atividades desenvolvidas na universidade desde meados de 2011. Apelidados de #memeclubes, os encontros periódicos são compostos de projeções de memes – semelhantes a cineclubes –, seguidas de debates. Ao longo dos anos, temas como a cultura LGBT, as pessoas que se transformam em celebridades do dia para a noite por causa de memes e eleições foram discutidas nos encontros.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix