Campo Grande/MS, Quarta-Feira, 21 de Novembro de 2018 |
27˚
(67) 3042-4141
Colunistas
Domingo, 14 de Outubro de 2018, 11h:58
Tamanho do texto A - A+
Colunistas

Setor de games recebe investimento de R$ 100 milhões do Ministério da Cultura

Por Gustavo Torniero

Da coluna Tecnologia
Artigo de responsabilidade do autor

Iniciativa pretende aumentar produção de jogos e diversidade no mercado

Istock Photos

ColunaTecnologia

De acordo com o 2º Censo da Indústria Brasileira de Jogos Digitais, as indústrias desse segmento estão presentes em todas as regiões do país, com destaque para São Paulo e Rio de Janeiro. O setor está em expansão -- o número de empresas no cenário cresceu 182% em quatro anos. Além disso, 946 jogos brasileiros foram produzidos este ano e incluem os games de entretenimento e educativos. Para impulsionar ainda mais o mercado, o Ministério da Cultura (MinC) anunciou uma política nacional que vai injetar R$ 100 milhões no setor de games no Brasil.


O intuito é aumentar a produção de jogos nas realidades virtual e aumentada, formação de profissionais, ampliação da infraestrutura e de empresas, além da criação de eventos. O Ministério da Cultura também pretende estimular a diversidade no setor, como, por exemplo, medidas para ampliar a participação das mulheres. Hoje, segundo o levantamento feito pela pasta, as mulheres que trabalham na área representam apenas 20,7% do total do segmento.


O Brasil é, atualmente, o 13º maior produtor de games do mundo e o maior da América Latina, o que faz do país um importante expoente da cultura gamer. Esse público gastou US$ 1,3 bilhão em 2017. Em relação ao número de consumidores, o país está ainda mais bem posicionado: aparece na quarta colocação, com 66 milhões de jogadores, atrás apenas de China, Estados Unidos e Japão.


Pesquisa feita pela NewZoo, empresa internacional de games, apontou que existem 2,3 bilhões de jogadores no mundo. Em 2017, a indústria mundial de games faturou US$ 121,7 bilhões (R$ 504,5 bilhões). Esse dado éo triplo da indústria do cinema e sete vezes mais do que a da música. No Brasil, o futuro é promissor. O Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), por exemplo, já destinou R$ 37,7 milhões para produção, desenvolvimento e lançamento de games.


Com um cenário em expansão, os jogadores devem buscar se especializar cada vez mais e ter bons aparelhos. Em alguns casos, vale a pena até pensar em comprar um notebook gamer ou montar um desktop com itens e acessórios que atendam às suas necessidades. No caso de jogos online, por exemplo, pode não ser necessário adquirir um computador de ponta para a execução de gráficos sofisticados.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix