Campo Grande/MS, Sábado, 21 de Outubro de 2017 | 10:45
27˚
(67) 3042-4141
Cotidiano
Quarta-Feira, 09 de Agosto de 2017, 14h:22
Tamanho do texto A - A+

Apesar de reviravolta, Enfermagem prossegue com greve na Santa Casa

Sindicato confirma a chegada de parte do dinheiro e espera por R$ 4 milhões para que salários sejam quitados

Danilo Galvão
Capital News

A. Ramos/Capital News

Categoria que elegeu dois vereadores entra em greve na Santa Casa

Sem salário e perspectiva de receber, enfermeiros da Santa Casa adotam paralisação

Nessa quarta-feira (9), o Siems (Sindicato dos Trabalhadores da Enfermagem do Mato Grosso do Sul) depois de reunião na Prefeitura indicou que a greve da categoria no hospital está perto do fim. Pelo menos já existe sinais de que o Poder Público Municipal e a Santa Casa de Campo Grande devam pagar os salários atrasados até o fim da semana.

“Até que seja confirmado que o dinheiro caiu na conta a mobilização será mantida”, foi o que disse o presidente do sindicato, Lázaro Santana, na frente do Paço Municipal no final da manhã, depois de receber a notícia de que R$ 2 milhões, dos R$ 6 milhões necessários para a operação já haviam sido disponibilizados por meio de aditivo no convênio da Prefeitura com o hospital.

O dirigente se reuniu na sede do Executivo Municipal com representantes da Sesau (Secretaria de Saúde), onde foi informado de que trâmites burocráticos já foram acionados para a viabilização dos outros R$ 4 milhões que faltam de repasse para que a situação dos colaboradores seja enfim regularizada.

Divulgação/Assessoria

Enfermeiros da Santa Casa começam greve em Campo Grande

categoria na Santa Casa da Capital sustenta a desconfiança


Mesmo com a resposta positiva, a categoria com 1.400 funcionários na Santa Casa de Campo Grande sustenta a desconfiança que deflagrou a paralisação, e prefere aguardar com greve a “celeridade da instituição” para resolver o impasse.

 

Sem o acesso total a verbas que possui direito por convênio o hospital já vinha precisando arcar sozinho com despesas que deveria ter apoio da Prefeitura e do Governo do Estado para prestar o serviço.

Apenas as atividades de urgência e emergência dos enfermeiros e técnicos de enfermagem do hospital permanecem sem alteração com a greve, que possui uma adesão de mais de 70% do efetivo da categoria na Santa Casa de Campo Grande.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix