Campo Grande/MS, Sábado, 15 de Dezembro de 2018 |
27˚
(67) 3042-4141
Cotidiano
Quarta-Feira, 05 de Dezembro de 2018, 13h:47
Tamanho do texto A - A+

Após escândalo e prisões do “mensalinho”, MP solicita anulação de eleição em Câmara

Denúncias apontam suborno, negociata e compra de apoio para a eleição no Poder Legislativo

Flavia Andrade
Capital News

Ricardo Albertoni/Diário Corumbaense

Câmara Municipal de Ladário

Câmara Municipal de Ladário

Após a prisão de quatro vereadores, seis dias após a eleição que aconteceu no dia 20 de novembro, o Ministério Público solicitou anulação da eleição alegando o fato de que as investigações, apontam pagamento de mensalinho, crime de compra de apoio político mediante propina revelada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), suborno, negociata e compra de apoio para eleição no Poder Legislativo.

 

Na última segunda-feira (dia 3), o Poder Legislativo anulou a eleição, com placar de 6 votos a 3. A data do novo processo deve ser divulgada na sessão do dia 10.

 

Dos vereadores eleitos para a administração da Câmara no biênio 2019/2020, quatro vereadores foram presos. A recomendação para anular a eleição partiu do MP/MS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul).

 

Segundo a promotoria, as investigações apontam que, dentre outras ilegalidades, as eleições para a Mesa Diretora da Câmara de Vereadores foram maculadas, na medida em que houve suborno, negociata e compra de apoio para a eleição, conforme apontam as interceptações telefônicas.

 

Na eleição para a composição da Mesa Diretora foram eleitos os seguintes parlamentars: 

 

Eurípedes Zaurízio de Jesus (presidente), Vagner Gonçalves (vice-presidente), André Franco Cafaro (segundo vice), Paulo Rogério Feliciano Barbosa (primeiro secretário) e Agnaldo Santos Silva Junior (segundo secretário).

 

No dia 26 de novembro, foram presos Vagner (PPS), André (PPS), Paulo (PMN) e Agnaldo (PTB). A ação ainda prendeu os vereadores Augusto de Campos (MDB), Lilia Maria Villalva de Moraes (MDB) e Osvalmir Nunes da Silva (PSDB). As prisões são por associação criminosa e corrupção ativa e passiva. A Câmara tem 11 vereadores.

 

Além destes, a operação do Gaeco também prendeu o prefeito de Ladário, Carlos Anibal Ruso Pedrozo (PSDB), que foi afastado do cargo.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix