Campo Grande/MS, Sábado, 23 de Setembro de 2017 | 21:28
27˚
(67) 3042-4141
Cotidiano
Quarta-Feira, 17 de Maio de 2017, 18h:04
Tamanho do texto A - A+

Desembargador livra Puccinelli de fiança milionária e tornozeleira eletrônica

O Desembargador também liberou Mirched Jafar Junior dono da Gráfica Alvorada

Maisse Cunha e Cristiano Arruda
Capital News

Deurico/Arquivo Capital News

Desembargador livra Puccinelli de fiança milionária e tornozeleira eletrônica

..

O desembargador Paulo Fontes, do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3), em São Paulo, acaba de suspender a fiança do ex governador André Puccinelli, estipulada em R$1 milhão, e o uso de tornozeleira eletrônica.

O pedido foi impetrado na tarde desta quarta-feira (17), pelo advogado Eduardo Mendonça Alvarenga, representante de André, na capital paulista.

A decisão de quando André Puccinelli retirará a tornozeleira eletrônica, está sendo analisada pelo Magistrado Fábio luparelli.

Reprodução/TV Morena

Mirched Jafar Júnior

Mirched Jafar Júnior

 

Fontes também acatou, nesta tarde, o pedido de habeas corpus do dono da Gráfica Alvorada, Mirched Jafar Junior, que estava preso há sete dias. A liminar foi concedida nesta quarta-feira (17) e o alvará de soltura será expedido a qualquer momento. Mirched está no presído de segurança Máxima de Campo Grande.

Fontes também é o responsável por libertar o ex-secretário-adjunto de Estado de Fazenda, André Cance, alvo da 4º fase da Operação Lama Asfáltica.



Ainda continuam presos:
Jodascil da Silva Lopes ex-servidor da Secretaria de Educação (SED) e o ex-coordenador de licitações da Secretaria Municipal de Administração (Semad), Mauro Cavalli.

Operação Máquinas de Lama:
A operação deflagrada na quinta-feira (11) pela Polícia Federal, Controladoria Geral da União (CGU) e Receita Federal é resultado do trabalho da investigação realizada com base nos materiais colhidos nas fases anteriores da operação. Entre os crimes investigados, foram encontrados indícios de lavagem de dinheiro e pagamento de propinas a servidores públicos. A estimativa é de que a organização criminosa tenha causado prejuízos que chegam a R$ 150 milhões.

Ao todo, foram cumpridos 32 mandados de busca e apreensão, três de prisão preventiva, nove de condução coercitiva e bloqueio de valores em reais em contas bancárias de pessoas físicas e de empresas. As atividades estão concentradas em quatro municípios de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, Nioaque, Porto Murtinho e Três Lagoas e nas capitais, São Paulo (SP) e Curitiba (PR).

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix