Campo Grande/MS, Quarta-Feira, 19 de Dezembro de 2018 |
27˚
(67) 3042-4141
Cotidiano
Sexta-Feira, 30 de Novembro de 2018, 15h:48
Tamanho do texto A - A+

Estudante denuncia faculdade ao Ministério Público por fraude

Instituição teria se auto avaliado no Enade após ter acesso a senha individual dos alunos

Gian Nascimento
De Três Lagoas para o Capital News

Reprodução/Perfil News

Estudante denuncia faculdade ao Ministério Público por fraude

Conforme informou o acadêmico, quatro turmas do curso de Direito teriam sido lesadas pela ação da faculdade

Uma denúncia junto ao Ministério Público foi realizada por um aluno do curso de Direito de uma instituição particular de Três Lagoas. O discente acusou a faculdade de fraude na avaliação do Enade.

 

A AEMS teria fraudado o Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) na avaliação dos rendimentos dos concluintes dos cursos de graduação em relação aos conteúdos programáticos, habilidades e competências adquiridas em sua formação, conforme o site Perfil News.

 

A avaliação é dividida em duas partes. Na primeira, os alunos são avaliados em uma prova de conteúdo programático e na outra, os alunos avaliam a instituição onde estudam. Foi nessa parte, segundo ele, que a AEMS teria fraudado o exame.

 

De acordo com o aluno que não se identificou, a coordenadora do curso teria levado os alunos ao laboratório de informática da faculdade para cadastrarem uma senha padrão, para que com essa senha, a faculdade faria a inscrição no Enade para os acadêmicos. 

 

Disse, ainda, que com essa senha os estudantes realizariam a prova de avaliação do Enade e que os alunos receberiam por e-mail a confirmação da inscrição.

 

Segundo o denunciante, de posse da senha dos alunos a faculdade teria se autoatribuído notas, em que avaliou-se a si mesma em questões sobre estrutura do curso, o que restou aos alunos apenas a avaliação individual da instituição.

 

 

Conforme informou o acadêmico, quatro turmas do curso de Direito teriam sido lesadas pela ação da faculdade e perante a ação, ele procurou a intervenção do Ministério Público Federal.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix