Campo Grande/MS, Domingo, 22 de Janeiro de 2017 | 19:33
27˚
(67) 3042-4141
Cotidiano
Quarta-Feira, 11 de Janeiro de 2017, 12h:17
Tamanho do texto A - A+

Justiça determina obras emergenciais no córrego Anhanduí

Município tem 90 dias para iniciar obras, sob pena de multa diária de R$ 2 mil

Natália Moraes
Capital News

Deurico/Arquivo Capital News

Justiça determina obras emergenciais no córrego Anhanduí

..

Em poucos dias no comando da Capital, o prefeito Marquinhos Trad herdou mais um problema de gestões anteriores. A Justiça determinou a realização de obras emergenciais de contenção de erosão nos trechos mais críticos da Avenida Ernesto Geisel, margeada pelo córrego Anhanduí. O Município tem 90 dias iniciar as obras, sob pena de multa diária de R$ 2 mil.

 

A decisão judicial é do dia 12 de dezembro de 2016. Nela, ficou designada ainda uma audiência de conciliação com o Município prevista para 20 de fevereiro deste ano.

 

A Avenida Ernesto Geisel tem alguns dos trechos mais prejudicados com alagamentos na Capital em época de chuvas, que inclusive já ocasionam riscos para a população.

 

“As erosões das margens ocasionam destruição da vegetação existente, causam assoreamento do rio Anhanduí, potencializando a possibilidade de alagamentos e inundações em local de grande acesso de pessoas e veículos, uma vez que há nas imediações inúmeras residências, hipermercado, shopping center e outras lojas de grande porte”, destaca o Ministério Público Estadual (MPE).


Conforme a assessoria do MPE, a Justiça deferiu pedido de tutela provisória de urgência da ação civil pública, ajuizada em novembro de 2016 contra o Município. Neste caso, a tutela é pedida quando há dano irreparável antes do fim do processo.


A Prefeitura informou que ainda não foi notificada da decisão judicial.

Alessandra Carvalho/Arquivo Capital News

Justiça determina obras emergenciais no córrego Anhanduí

Conforme já noticiado pelo Capital News, Ernesto Geisel é uma das vias mais prejudicadas em época de chuvas


Histórico
Na Ernesto Geisel, principalmente no trecho a partir do Shopping Norte-Sul, as obras de contenção de enchentes não foram eficazes.

 

Na gestão do prefeito Nelsinho Trad, a Prefeitura licitou em 2012 uma obra para a revitalização da Avenida, com o objetivo de conter a erosão nas margens do rio Anhanduí. No entanto, ela foi iniciada mas nunca finalizada. Já o prefeito anterior, Alcides Bernal, não assinou a ordem de serviço da obra e ela parou. Desde então, o problema só se agrava.


Conforme o MPE, desde 2010 há notícias da degradação ambiental na Avenida, até com a destruição da pista de rolamento. Há ainda o crescente processo de impermeabilização sofrido pelo Rio Anhanduí, o que gera o assoreamento do leito do córrego e destruição dos barrancos marginais.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix