Campo Grande/MS, Quinta-Feira, 21 de Março de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Cotidiano
Sexta-Feira, 15 de Março de 2019, 09h:06
Tamanho do texto A - A+

Mortes no trânsito em Campo Grande diminuem 18% após instalação de radares

Serviço ficou paralisado por quase dois anos

Caroline Carvalho
Capital News

Divulgação/PMCG

Mortes no trânsito em Campo Grande diminuem 18% após instalação de radares

Excesso de velocidade é uma das principais causas de acidentes de trânsito, diz Agetran

Os dois primeiros meses de 2019 registraram a diminuição de 18% nas mortes no trânsito de Campo Grande. De acordo com a Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), a redução de óbitos nas vias está diretamente ligada ao retorno dos radares que começaram a ser reativados no final do ano. 

 

Mesmo assim, o número continua alto: foram nove mortes este ano em janeiro e fevereiro, contra 11 em igual período de 2018. Já no início de março, apenas uma morte foi registrada. Em contrapartida, no ano passado, foram seis naquele mês. 

 

Até agora, 21 radares estão funcionando em Campo Grande. Depois de ativados, quase 10 milhões de veículos passaram pelos aparelhos e somente 0,14% deles foram notificados por desrespeito às regras de circulação, o que inclui avanço de sinal, velocidade, parada sobre faixa e conversão irregular. 

 

De acordo com levantamento da Agência de Trânsito, de 2017 para 2018, período em que os radares foram removidos da Capital, houve um aumento de aproximadamente 25% no número de mortes no trânsito, devido, principalmente à presença da alta velocidade, um dos principais fatores de risco no trânsito atualmentes.

 

“A importância desses aparelhos para a cidade é essa, a preservação da vida e estamos otimistas que vamos conseguir reduzir cada vez mais os números de acidentes e mortes”, concluiu o diretor da Agetran, Janine de Lima Bruno. 

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix