Campo Grande/MS, Domingo, 23 de Setembro de 2018 | 01:16
27˚
(67) 3042-4141
Cotidiano
Terça-Feira, 13 de Março de 2018, 18h:37
Tamanho do texto A - A+

Operação “Verão Legal” fiscaliza hotéis de Campo Grande

Ação tem objetivo de regularizar prestação de serviço do setor

Esthéfanie Vila Maior
Capital News

Mario Hada

Operação “Verão Legal” fiscaliza hotéis de Campo Grande

Cadastro é gratuito e obrigatório para hotéis e outras seis categorias

A Operação “Verão Legal” acontece de 13 a 15 de março em Campo Grande. Realizada por fiscais do Ministério do Turismo (MTur), o objetivo da ação é sensibilizar os prestadores de serviço sobre a importância da formalização do setor. Também visa ampliar o número de pessoas físicas e jurídicas no cadastro de prestadores de serviços turísticos, o Cadastur.

 

Nesta terça-feira (13), foi realizada uma reunião de apresentação do Cadastur 3.0 e de alinhamento das ações de fiscalização do Ministério do Turismo, juntamente com a Coordenação Regional de Serviços Turísticos da Fundação de Turismo de MS e o trade turístico sul-mato-grossense.

 

Na quarta (14) e quinta-feira (15) os hotéis da Capital serão fiscalizados. A expectativa do MTur é garantir o cadastro dos meios de hospedagem em funcionamento. O cadastro é gratuito e obrigatório para agência de turismo, parque temático, acampamento turístico, organizadora de eventos, guia de turismo e transportadora turística. 

 

Cadastur

Entre os benefícios de ser cadastrado estão: acesso a financiamento por meio de bancos oficiais; apoio em eventos, feiras e ações do Ministério do Turismo; incentivo a participar de programas e projetos do governo federal; participação em programas de qualificação promovidos e apoiados pelo MTur; visibilidade nos sites do Cadastur e do Programa Viaje Legal. 

 

“Com essa força-tarefa do Ministério do Turismo iremos beneficiar não só o setor turístico, que sairá da ilegalidade, mas também o turista que ganha qualidade e segurança ao contratar um prestador de serviço regularizado e que atua em conformidade com o que diz a legislação brasileira. Por isso, tenho convicção de que este é um projeto que será apoiado por todo o setor e seus parceiros”, acredita o ministro do Turismo, Marx Beltrão.

 

Segundo o MTur, o trabalho de fiscalização nas capitais brasileiras já tem surtido efeitos nos números do Cadastur. Em dezembro de 2017 foram identificados 64.591 cadastros, um crescimento de 14% em relação ao mesmo período do ano anterior. 

 

É importante alertar que quem for flagrado com cadastro fora de validade será considerado ilegal e pode ser autuado pelos órgãos de controle. Caso a situação não seja regularizada, a multa pode chegar a R$ 854 mil.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix