Campo Grande/MS, Segunda-Feira, 15 de Outubro de 2018 | 21:49
27˚
(67) 3042-4141
Cotidiano
Quinta-Feira, 17 de Maio de 2018, 13h:37
Tamanho do texto A - A+

TCE-MS orienta gestores públicos para criação de Ouvidorias nos municípios

Município que não tiver um canal de comunicação com o cidadão, futuramente, correrá o risco de não conseguir receber recursos federais

Flávio Brito
Capital News

O ouvidor do Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul (TCE-MS), conselheiro Osmar Jeronymo, enviou um ofício para todos os municípios do Estado para orientar aos gestores públicos para a criação da ouvidoria de seus respectivos municípios. Ação segue as  estabelecidas pela Lei 13.460/2017 que prevê os direitos dos cidadãos e atribuições das ouvidorias como um canal de entrada das manifestações

 

Segundo o Coordenador da Ouvidoria do Tribunal de Contas do Estado e secretário da Rede de Ouvidorias do Estado, Álvaro Scriptore Filho, a orientação aos gestores públicos que ainda não possuem ouvidorias instaladas em seus municípios, “se atentem ao cumprimento das legislações”. 

 

Para promover a atuação integrada e sistêmica, o Tribunal de Contas ainda faz o convite aos municípios para que façam parte da Rede de Ouvidorias do Estado de Mato Grosso do Sul. E para essa adequação das prefeituras às referidas normas, a Controladoria-Geral da União (CGU), está disponibilizando um sistema de ouvidoria gratuito e de gerência exclusiva do município, o “e-Ouvidoria Municípios”, 

 

O sistema oferece uma plataforma web gratuita aos municípios e órgãos/entidades vinculadas para que possam instituir canais de recebimento, análise e resposta de manifestações de usuários de serviços públicos.

 

 O Coordenador da Ouvidoria do TCE-MS, Álvaro Scriptore, ressalta que “por conta do cumprimento das legislações, o município que não tiver um canal de comunicação com o cidadão, futuramente, correrá o risco de não conseguir receber recursos federais”.

 

 No ofício, o conselheiro Osmar Jeronymo ainda lembra que a instalação do sistema, disponibilizado pela CGU, não requer do órgão ou entidade qualquer tipo de gasto, já que se trata de uma plataforma web totalmente grátis e sendo entregue toda pronta, não necessitando de outras contratações na área de T.I.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix