Campo Grande/MS, Sábado, 18 de Agosto de 2018 | 02:43
27˚
(67) 3042-4141
Trânsito
Quinta-Feira, 26 de Abril de 2018, 09h:20
Tamanho do texto A - A+

Embriagado, condutor de carro mata pedestre na faixa de travessia na Capital

Vítima tinha 22 anos; ela atravessava a Avenida Ceará quando foi atingida

Laura Holsback
Capital News

Moisés Luis da Silva Oliveira, 22 anos, morreu ao ser atropelado por carro no fim da noite desta quarta-feira (25), na Avenida Ceará, no bairro Santa Fé, em Campo Grande. O acidente ocorreu quando a vítima atravessava a faixa de pedestre. O condutor do carro envolvido, de 33 anos, estava embriagado, segundo a polícia.

 

Deurico/Capital News

Motociclista é sequestrado e passa quatro horas nas mãos de assaltantes

Caso foi registrado na Depac Centro

Conforme Boletim de Ocorrência, amigo de Moisés contou que eles estavam sentados em frente de uma conveniência, do outro lado da avenida, e em determinado momento foram atravessar a via para ir ao estabelecimento. Enquanto o amigo de Moisés caminhava por uma faixa de pedestre que há no local, pouco mais à frente, a vítima que estava atrás foi atingida por automóvel, modelo UP. Moisés morreu ainda no local.

 

Imagens do circuito de monitoramento da conveniência, de acordo com o registro policial, mostram o condutor do UP em alta velocidade. Ele chegou a fugir do local, mas foi detido momentos depois e submetido a teste de bafômetro que deu resultado positivo para a ingestão de bebida alcoólica.

  

O homem deverá já responder de acordo com a nova lei de trânsito que torna mais dura a pena para quem dirige sob efeito de álcool e causa vítimas em acidentes. Antes, a pena de prisão para o motorista que cometesse homicídio culposo no trânsito estando sob efeito de álcool ou outras drogas psicoativas variava de 2 a 5 anos. Com a mudança, a pena aumenta para entre 5 e 8 anos de prisão.

 

Além disso, a lei também proíbe o motorista de obter permissão ou habilitação para dirigir veículo novamente. Já no caso de lesão corporal grave ou gravíssima, a pena de prisão, que variava de seis meses a 2 anos, agora foi ampliada para prisão de 2 a 5 anos, incluindo também a possibilidade de suspensão ou perda do direito de dirigir.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix