Campo Grande/MS, Segunda-Feira, 20 de Novembro de 2017 | 06:37
27˚
(67) 3042-4141
Trânsito
Sábado, 04 de Novembro de 2017, 09h:29
Tamanho do texto A - A+

Justiça manda prender motorista de caminhonete que matou advogada

O rapaz, de 23 anos, fugiu do local a pé e segue foragido

Laura Holsback
Capital News

Cedida via WhatsApp

Advogada morta em acidente é enterrada na Capital

Carro ficou destruído devido a violência do impacto e Carolina morreu na hora

 

A Justiça de Mato Grosso do Sul determinou a prisão de João Pedro da Silva Miranda Jorge, 23 anos, apontado como autor do acidente que matou a advogada Carolina Albuquerque Machado, 24 anos. Ela dirigia um Fox quando foi atingida por João que estava em alta velocidade em caminhonete Frontier. A colisão aconteceu  na madrugada de quinta-feira (2), na Avenida Afonso Pena, no Bairro Chácara Cachoeira, próximo ao Shopping Campo Grande.  O rapaz fugiu do local e agora é considerado foragido. 

 

Carolina Albuquerque foi sepultada ontem à tarde, no Cemitério Jardim das Palmeiras. 

O Boletim de Ocorrência registrado sobre o fato diz que a bacharel em Direito dirigia o Fox e tinha como passageiro o filho de 3 anos, quando foi atingida pela caminhonete de João Pedro.

 

O rapaz estava acompanhado de um irmão, de 21 anos e, após a batida saiu do local a pé, deixando até o irmão para trás. João deve responder pelos crimes de homicídio culposo na direção de veículo, lesão corporal culposa na direção de veículo, além de omissão de socorro e afastar-se do local do acidente para fugir à responsabilidade criminal ou civil.

 

O rapaz seguia a cerca de 160 quilômetros por hora, segundo a polícia, e perícia avalia sobre a possibilidade de ele ter passado no sinal vermelho. Com a violência do impacto, o carro de Carolina foi parar a 110 metros do ponto da colisão e ficou destruído.

 

Carolina morreu no local. A criança quebrou a clavícula. O irmão de João sofreu ferimentos leves e foi levado para o Prontomed da Santa Casa, mas liberado em seguida.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix