Campo Grande/MS, Quarta-Feira, 19 de Dezembro de 2018 |
27˚
(67) 3042-4141
Cultura e Entretenimento
Sexta-Feira, 07 de Dezembro de 2018, 12h:27
Tamanho do texto A - A+

MIS recebe última edição do ano do Cine Café com filme japonês na próxima segunda

Também será realizada uma pequena confraternização com todos os colegas e amigos que compartilharam as sessões deste ano

Leonardo Barbosa
Capital News

Divulgação

MIS recebe última edição do ano do Cine Café com filme japonês na próxima segunda

O filme retrata a vida de quatro irmãos que mudam com sua mãe para um pequeno apartamento em Tóquio, sendo que todos têm pais diferentes

O Museu da Imagem e do Som (MIS) recebe a última edição de 2018 do Cine Café na próxima segunda-feira (10), às 19h, com a exibição do filme “Ninguém pode saber” (2004), do diretor japonês Hirokazu Kore-eda.

 

O filme retrata a vida de quatro irmãos que mudam com sua mãe para um pequeno apartamento em Tóquio, sendo que todos têm pais diferentes. As crianças nunca foram à escola e apenas o filho mais velho entra caminhando normalmente no novo apartamento, com os outros chegando escondidos em malas. Ninguém pode ficar sabendo que mais de três pessoas vivem ali, sob o risco de serem expulsos. Tudo vai bem até que, um certo dia, a mãe (You) vai embora, deixando para o filho mais velho, Akira (Yuya Yagira), de 12 anos, um bilhete e um pouco de dinheiro. Começa então o duro processo de amadurecimento precoce de Akira.

 

O diretor escreveu o rascunho de Ninguém Pode Saber quinze anos antes de o filme ser feito. O projeto foi intitulado de "Domingo Maravilhoso" e se desdobrava a partir de um ponto de vista bem subjetivo do personagem Akira, terminando com uma sequência de um encontro fantasioso de toda a família (os filhos, a mãe e os vários pais) reunida para um passeio de domingo.

 

As gravações foram feitas cronologicamente ao longo de quase um ano inteiro. O filme foi exibido em sessão especial na mostra Panorama do Cinema Mundial, no Festival do Rio 2004. De acordo com o Harvard Film Archive, o trabalho de Kore-eda "reflete o ritmo e estilo contemplativo de exemplos como Hou Hsiao-Hsien e Tsai Ming-liang". 

 

Hirokazu Kore-eda é iretor, produtor, roteirista e editor. Antes de embarcar em uma carreira como diretor, Kore-eda trabalhou como assistente de direção em documentários para a televisão. Mais tarde, dirigiu seu primeiro documentário para a televisão, Mou hitotsu no kyouiku - Ina shogakkou haru gumi no kiroku, em 1991. Seu filme Pais e Filhos de 2013, foi nomeado para a Palme d’Or no Festival de Cannes de 2013. Ganhou o Prêmio do Júri e ganhou uma comendação do Júri Ecumênico.

 

 

Nesta última exibição de 2018 do Cine Café, será realizada uma pequena confraternização com todos os colegas e amigos que compartilharam as sessões deste ano. Convidem os amigos e participem! A entrada, o chá, o café e o amor são gratuitos.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix