Campo Grande/MS, Domingo, 10 de Dezembro de 2017 | 21:22
27˚
(67) 3042-4141
Economia
Quinta-Feira, 10 de Agosto de 2017, 12h:10
Tamanho do texto A - A+

Capital ganhará mais 90 postos de trabalho com instalação de indústrias

Cervejaria e instalação biotecnologia somam aposta de investimento de R$ 20 milhões no Polo Industrial Oeste

Danilo Galvão
Capital News

Com a inauguração da nova sede da empresa FertiQuímica Agrociência e expectativa de construção da Cervejaria Navarro, Campo Grande deve receber a abertura  de mais 90 postos de trabalho.

Deurico Ramos / Arquivo Capital News

Prioridade de Marquinhos é “colocar a cidade em ordem”

Secretário Luiz Fernando Buainain (Sedesc)

 

Os empregos diretos no Polo Industrial Oeste é fruto de mais uma articulação da Prefeitura na captação de investimentos na Capital. Só com as duas unidades de produção, espera-se a inserção de mais de R$ 20 milhões na economia do município.

Após três anos aguardando o andamento de seu processo junto à Prefeitura, o empresário Fábio Gomes de Souza, da FertiQuímica, comemorou a parceria da nova gestão. “Recebemos o incentivo com a doação do terreno em 2014, mas aí não caminhou.

 

Quando procurávamos a Prefeitura para acompanhar, éramos atendidos pelos menores aprendizes e saíamos sempre sem uma posição oficial. Somente neste ano, com a nova equipe da Sedesc (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia), conseguimos com o Secretário Luiz Fernando Buainain caminhar com o nosso projeto”, desabafou o dono da indústria que vai gerar 30 empregos diretos e recebeu investimento de R$ 3 milhões.

Divulgação/Prefeitura de Campo Grande

Capital ganhará mais 90 postos de trabalho com instalação de indústrias

Pedra fundamental foi lançada na quarta-feira (9)

A respeito dos avanços da parceria com a Iniciativa Privada para a geração de empregos na Capital, o prefeito Marquinhos Trad reforça que o compromisso da sua administração é com o resgate do desenvolvimento do município, mesmo com o cenário de recessão que o país atravessa. “Além de uma crise nacional, Campo Grande precisou enfrentar uma crise política e administrativa nos últimos quatro anos, o que afetou gravemente todos os setores, inclusive, deixando de gerar mais de 45 mil empregos, já que toda essa situação fez com que o município perdesse a credibilidade.

 

Voltamos nossa atenção para o meio empresarial, que sabemos ser fundamental. Apesar de estarmos apenas há 7 meses na administração, já imprimimos um ritmo de celeridade burocrática oferecendo segurança e solidez naquilo que cabe ao Executivo.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix