Campo Grande/MS, Sábado, 19 de Agosto de 2017 | 22:12
27˚
(67) 3042-4141
Economia
Quinta-Feira, 10 de Agosto de 2017, 09h:10
Tamanho do texto A - A+

Exportações de industrializados com aumento de 8% no Estado em 2017

Todavia, em comparativo com mês de julho no ano passado o volume do mesmo tipo de transação é maior em 12%

Danilo Galvão
Capital News

Divulgação/Fiems

Exportações de industrializados com aumento de  8% no Estado em 2017

“Celulose”, “Frigoríficos”, “Açúcar e Etanol”, “Extrativo Mineral”, “Óleos Vegetais” e “Couros e Peles”, foram 97% do salto

Levantamento do Radar Industrial da Fiems (Federação das Indústrias do Mato Grosso do Sul) aponta que no Estado às exportações de produtos industrializados registraram um acréscimo de 8% entre janeiro e julho. No comparativo isolado apenas do mês de julho de 2016 com o deste ano a diferença é positiva em 12%, em um período que as vendas desse item a outros países significaram 59% do total das exportações locais.

Sobre os números, o presidente da Fiems, Sérgio Longen cita que o desempenho é um verdadeiro “sopro de esperança aos empresários”. Passada a instabilidade política enfrentada atualmente pelo Brasil, eu acredito muito que a economia do País voltará aos trilhos do crescimento. Temos um sinal de recuperação dos empregos em nível nacional e agora temos o número positivo das exportações de industrializados, o que significa que estamos industrializando mais a produção estadual. Agora, a nossa intenção é manter essa base sólida, tanto na geração de empregos, quanto na exportação ”, projetou.

O dirigente vincula inclusive o papel do Poder Público nesse cenário da indústria e acrescenta ainda que os incentivos fiscais concedidos pelos governos dos Estados das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste são uma ferramenta de desenvolvimento. “Nós defendemos a concessão desses benefícios porque, atualmente, se trata da única forma para a industrialização do Brasil como um todo. Não podemos ter concentração de indústrias somente nos Estados das regiões Sul e Sudeste e, por isso, os incentivos fiscais são essenciais para que possamos produzir em Estados como Mato Grosso do Sul e vender essa nossa produção com preços competitivos aos grandes centros consumidores do País”, pondera.

Performance
O salto nas exportações de industrializados, de acordo com o Radar Fiems foi de R$ 120 milhões neste ano, no paralelo com os sete primeiros meses de 2016. Já no confrontamento de performance das transações da indústria local para o exterior, dos meses de julho dos dois anos o incremento foi de US$ 205,01 milhões para US$ 228,80 milhões.

Bruno Chaves/Arquivo Capital News

Silvicultura, cultivos florestais, cultivo florestal, fábricas de celulose, produção de eucaliptos, eucalipto

Produção de eucaliptos

Setores como os de “Celulose e Papel”, “Complexo Frigorífico”, “Açúcar e Etanol”, “Extrativo Mineral”, “Óleos Vegetais” e “Couros e Peles” foram os protagonistas desse resultado apontado pelo Radar Fiems. O coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da federação, Ezequiel Resende, cita que a soma de participação dos grupos nas vendas para outros países foi de 97% da receita total do Mato Grosso do Sul nessa modalidade de transação, entre janeiro e julho de 2017.

“O grupo Celulose e Papel somou US$ 564,3 milhões, apontando queda de 6% sobre igual período de 2016, quando as vendas atingiram US$ 599,8 milhões. Já, no complexo frigorífico, O crescimento observado se deu principalmente pelo aumento de 12% no preço médio da tonelada das carnes exportadas pelo grupo, que passou de US$ 2.467,12 em 2016 para US$ 2.752,42 no mesmo período de 2017. O “Extrativo Mineral” registrou uma receita de exportação alcançou US$ 107,9 milhões, com aumento de 43% sobre o mesmo período no ano passado”, explica Resende sobre alguns dos fatores que impulsionaram o aumento das exportações de industrializados do Estado.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix