Campo Grande/MS, Sábado, 16 de Dezembro de 2017 | 21:26
27˚
(67) 3042-4141
Economia
Terça-Feira, 05 de Dezembro de 2017, 18h:15
Tamanho do texto A - A+

Produção industrial do Estado apresenta crescimento pelo 4º mês seguido

Intenção de investimento também voltou a aumentar após três meses de estabilidade com indicador saindo de 53,6 pontos em outubro para 56,3 pontos

Flávio Brito
Capital News

Divulgação/Fiems

Exportações de industrializados com aumento de  8% no Estado em 2017

Sondagem é feita pela avaliação dos próprios empresários

As indústrias de Mato Grosso do Sul estão produzindo mais, mas ainda estão longe de operarem em sua capacidade máxima, de acordo com as informações da Sondagem Industrial realizada pelo Radar Industrial da Fiems,  realizada junto às empresas estaduais. A produção das indústrias sul-mato-grossense voltou a avançar no mês de outubro deste ano com o índice de evolução da produção industrial marcando 53,3 pontos. A escala de desempenho da indústrias parte dos 50 pontos, e qualquer valor igual a este indica estabilidade. Quando a avaliação é menor que 50, se verifica a queda. 

 

Ainda de acordo com a Sondagem Industrial, que foi realizada junto a 67 empresas - 33 pequenas, 27 médias e 7 grandes - no período de 1º a 14 de novembro, 83,6% das empresas apresentaram produção estável ou crescente, quando comparado com o mês de setembro. 

 

Conforme o coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems, Ezequiel Resende, na prática, o indicador apresentou crescimento pelo quarto mês seguido – julho, agosto, setembro e outubro. “A capacidade ociosa diminuiu, mas segue em patamar elevado. Para 34,3% dos empresários ouvidos na indústria, a utilização da capacidade instalada esteve abaixo do usual para o mês de outubro, porém, em setembro, esse número era de 35,7%”, detalhou Ezequiel Resende.

 

Além disso, a intenção de investimento também voltou a aumentar após três meses de estabilidade com indicador saindo de 53,6 pontos em outubro para 56,3 pontos em novembro, sendo que o resultado médio acumulado em 2017 é 11,8 pontos maior que o de 2016. A vontade de investir na produção é justificada quando se olha os números sobre a expectativa de demanda. 

 

Os empresários do Estado estão mais otimistas quanto à intenção dos consumidores em adquirirem seus produtos. Para os próximos seis meses, a partir de novembro, a Sondagem da Fiems aponta que a demanda marcou 58,7 pontos, sinalizando aumento. Ainda quanto a  demanda, em novembro, 38,8% das empresas responderam que esperam aumento na procura por seus produtos nos próximos seis meses, enquanto, para o mesmo período, 17,9% preveem queda. Já as empresas que acreditam que o nível de demanda se manterá estável responderam por 37,3% do total, enquanto 6% não apresentaram resposta.

 

Com relação ao número de empregados, em novembro, 17,9% das empresas responderam que esperam aumentar a quantidade de trabalhadores nos próximos seis meses, enquanto 9% apontaram que esse número deve cair. Por outro lado, 68,7% das empresas esperam manter o quadro de funcionários estável e, por fim, 4,5% não apresentaram resposta. 

 

Já a respeito das exportações, em novembro, 11,9% das empresas respondentes disseram esperar aumento, enquanto 3% acreditam que deva ocorrer queda. Já as empresas que preveem estabilidade para suas exportações responderam por 9% do total e, por fim, 70,1% das empresas disseram que não exportam, enquanto 6% não apresentaram resposta.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix