Campo Grande/MS, Sábado, 15 de Junho de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Educação
Quarta-Feira, 03 de Abril de 2019, 13h:12
Tamanho do texto A - A+

SED usa protocolo para identificar alunos que precisam de atendimento clínico

A medida visa o bem estar das comunidades escolares espalhadas pelo MS

Leonardo Barbosa
Capital News

SED/Divulgação

SED usa protocolo para identificar alunos que precisam de atendimento clínico

O Nuped da SED realiza rodas de conversas nas escolas para reforçar a importância de se pôr em prática os manuais de atendimento

Há um ano e quatro a meses a Secretaria de Estado de Educação (SED) trabalha com protocolo específico para identificar, nas mais de 300 escolas da Rede Estadual de Ensino, casos de alunos que precisam de atendimento psicológico clínico.

 

A medida visa o bem estar das comunidades escolares espalhadas pelo Mato Grosso do Sul, explica a coordenadora do Núcleo de Psicologia Educacional (Nuped) da Superintendência de Políticas Educacionais (Suped) da SED, Paola Lopes: “Os psicólogos da Rede Estadual de Ensino trabalham no sentido de contribuir com o processo de aprendizagem do aluno. Eles não fazem atendimento clínico. Mas atuam em rede para que as escolas identifiquem casos específicos e encaminhem para o atendimento necessário”, esclarece.

 

Manuais e cartilhas de boas práticas, elaborados pela Nuped, auxiliam professores, coordenadores e diretores na identificação de mudanças de comportamentos de jovens e crianças. Os documentos ainda orientam a abordagem e dizem como o assunto deve ser tratado com os pais.

 

Identificadas as demandas, alunos e famílias são encaminhados para atendimento em instituições de saúde, assistência social ou jurídica – em casos de violência. A escola acompanha o atendimento do início ao fim para garantir os direitos da criança e do adolescente.

 

 

Nesta semana, para reforçar a importância de se colocar em prática os manuais de atendimento, o Nuped realiza rodas de conversas com diretores e coordenadores das escolas estaduais de Campo Grande. “Para validar o que já vem sendo feito pela comunidade escolar”, diz Paola.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix