Campo Grande/MS, Segunda-Feira, 26 de Junho de 2017 | 04:37
27˚
(67) 3042-4141
ENTREVISTA
Quarta-Feira, 28 de Setembro de 2016, 08h:56
Tamanho do texto A - A+

Decidi me candidatar para mudar paradigmas em nossa cidade, afirma Alex do PT

Em 1986, Alex ingressou no Partido dos Trabalhadores, através do Movimento Estudantil

Edyelk dos Santos
Capital News

O jornal Capital News deu início nesta semana a uma série de entrevistas com candidatos à prefeitura de Campo Grande. As entrevistas são compostas pelo perfil de cada candidato e suas ideias em relação aos principais temas ligados à administração municipal.

Deurico/Arquivo Capital News

Alex do PT

Alex do PT

 

Marcos Alex Azevedo de Melo, mais conhecido como Alex do PT, nasceu em Fátima do Sul, em 1961, filho de nordestinos, comerciantes, mudaram-se para, o então, Mato Grosso, em busca de uma vida melhor para a família. Alex é o quinto filho de oito irmãos. Em 1974, ainda jovem, mudou-se para Campo Grande, onde trabalhou como office-boy, jornaleiro e no comércio do pai.

Já em 1986 ingressou no Partido dos Trabalhadores, através do Movimento Estudantil, foi dirigente da UCE (União Campo-grandense de Estudantes), se tornou um militante histórico, sempre atuante nas campanhas de Zeca do PT e Luís Inácio Lula da Silva. Se formou em História pela UCDB, onde também foi presidente do Diretório Acadêmico.

Há 30 anos é casado com Fanny Assad Coelho de Melo, com quem tem uma filha de 14 anos. Também foi membro do Centro de Defesa dos Direitos Humanos, Marçal de Souza – Tupã-Y, foi secretário de Governo de MS, na gestão de Zeca do PT, foi vice-presidente da Câmara Municipal, vereador por quatro mandatos e líder do PT na Casa de Leis.

 

 

 

Até o fechamento desta edição, o candidato não enviou vídeo contendo algumas respostas da entrevista.

Capital News - Porque você quer ser prefeito de Campo Grande?


Alex do PT - Decidi me candidatar para mudar paradigmas em nossa cidade. Entendo que o prefeito é um servidor do povo, por isso vamos governar com o auxílio da população, fazer uma gestão compartilhada e com participação popular. Nosso propósito é horizontalizar o diálogo e dividir as responsabilidades de forma a conseguir elencar as prioridades apontadas pelas pessoas. Propomos algo inovador na Capital, antes nunca feito aqui. Só nós temos a condição de efetivar essa mudança, pois não temos compromisso com nenhuma empresa ou empreiteira e nem com família tradicional. Nosso compromisso é com o povo.

CN - Qual é a visão que você tem da Capital hoje e o que faria diferente para coloca-la em ordem?


Alex do PT - Hoje vimos uma cidade completamente abandona. Iluminação pública precária, buracos por todos os bairros, obras inacabadas, apenas com placas com obras retomadas para enganar o povo. Vejo uma gestão com limitações fora do normal, por ser comandada por uma pessoa centralizadora e autoritária, totalmente ao inverso do que nós propomos para a Capital.
Nossa proposta de administração vai tirar o município do caos que se encontra e colocar a população no centro das decisões. Temos que dialogar com a sociedade para encontrar o melhor caminho para Campo Grande voltar a ser uma cidade de oportunidades e do crescimento econômico e social.

CN - Eleito qual é as suas 3 prioridade da sua gestão?


Alex do PT - Primeiramente, vamos construir uma gestão democrática e participativa em que a sociedade e os servidores possam se ver e ajudar a governar. Vamos implantar eleições diretas para diretor e diretor adjunto das escolas municipais e ceinfs (Centro de Educação Infantil). Os órgãos que cuidam da saúde e da previdência do servidor também vão ser comandados por funcionários de carreira que forem escolhidos também por eleições diretas. Assim vai ser o processo para o comando do IMPCG, Servimed e Funserv. Vamos construir nosso próprio hospital para facilitar a vida dos campo-grandenses e zerar a fila de espera por vagas nos ceinfs.

CN - Como seria sua relação com a Câmara de vereadores?


Alex do PT - Nossa relação com a Câmara será de respeito e independência. O prefeito deve ter uma relação institucional com os vereadores e harmoniosa para o bem do município. Ambos foram eleitos para representarem os anseios do povo, um no Poder Executivo e o outro no Legislativo. A população não pode ser prejudicada por conta de brigas entre os dois poderes, como aconteceu nos últimos anos. Somos servidores como os demais e nosso objetivo será servir ao povo.

CN - Qual a sua opinião sobre cargos e salários de comissionados?


Alex do PT - Os cargos comissionados são importantes para a boa administração, porém é preciso ter o cuidado para não inchar a máquina, priorizar quem já é de carreira e cobrar resultado de acordo com a função. Em nossa gestão, vamos reduzir ao máximo a nomeação de comissionados. Temos que profissionalizar a administração, pagar bem o servidor e exigir empenho total daqueles que virem a ocupar um cargo em comissão.

CN - O que o Senhor acha da queda da Dilma? E o que o senhor espera do Governo Temer?


Alex do PT - Considero que o afastamento da presidente Dilma, sem crime de responsabilidade, foi um duro golpe na democracia brasileira. Da forma como fizeram é preocupante, pois abre precedente para o Legislativo afastar o prefeito ou governador, como aconteceu em Campo Grande. Ou seja, criou-se uma insegurança jurídica em nosso país. Pior é que a maior vítima disso tudo será o trabalhador e a trabalhadora, pois o que estamos vendo até o momento nas medidas anunciadas pelo governo Temer é um total retrocesso em nosso país em todas as áreas. Aumento de idade para aposentadoria, aumento da jornada de trabalho para 12 horas diárias, insegurança nas leis trabalhistas. Agora mais recente reforma no ensino médio. É um governo ilegítimo e frágil para promover qualquer reforma estruturante. Tenho visto as pessoas nas ruas bastante temerosas com o futuro.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix