Campo Grande/MS, Quinta-Feira, 30 de Março de 2017 | 00:54
27˚
(67) 3042-4141
ENTREVISTA
Segunda-Feira, 26 de Setembro de 2016, 12h:35
Tamanho do texto A - A+

Respeito nos serviços públicos é prioridade na gestão, afirma Pedro Pedrossian Filho

Pedro Pedrossian já autou como deputado federal em 2007

Edyelk dos Santos e Juliana Brum
Capital News

O jornal Capital News deu início nesta semana a uma série de entrevistas com candidatos à prefeitura de Campo Grande. As entrevistas são compostas pelo perfil de cada candidato e suas ideias em relação aos principais temas ligados à administração municipal.

Divulgação

Pedro Pedrossian Filho

Pedro Pedrossian Filho

 

Nascido no ano de 1966 na cidade de Cuiabá, Pedro Pedrossian Filho teve sua formação básica feita integralmente em escolas públicas, cursou faculdade de Direito, estudou na Universidade de Columbia nos Estados Unidos, é filósofo e político. Disputou as eleições de 1998, quando foi leito Deputado Federal. No ano de 2007 voltou a ser Deputado Federal ocupando a vaga de suplente de Murilo Zauith.

Como deputado, fez importantes contribuições para o Direito do Consumidor, Meio-ambiente, combate à Corrupção fiscalizando, desde esta época, o gerenciamento de recursos da Petrobras. Foi vice-Presidente do Diretório Regional do PFL-MS de 1995-1996; Presidente do Diretório Regional do PPB-MS de 2001-2002 e atualmente é presidente do Diretório Regional do Partido da Mulher Brasileira de MS.

Filho de Maria Aparecida Pedrossian e Pedro Pedrossian – ex-governador de Mato Grosso (antes da divisão do estado) e de Mato Grosso do Sul – Pedrossian Filho acompanhou de perto os feitos do pai aprendendo e avaliando os erros e acertos gerenciais. Em sua administração, pode-se citar a criação do Parque do Poderes, da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) e a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), o Hospital Rosa Pedrossian.

Capital News - Porque você quer ser prefeito de Campo Grande?


Pedro Pedrossian Filho - Para provar que acabar com esse paradigma nefasto da política é possível, além de garantir às pessoas que vivem nesta capital qualidade e respeito nos serviços públicos.


Há mais de 20 anos vejo que em Campo Grande muda-se o personagem principal e o cenário político continua o mesmo. Na política, não existe o mais ou menos honesto; mais ou menos corrupto. O tal do “rouba, mas faz”. Ou é honestou ou não é! E como saber quem é quem?


Olhando o passado e o presente de cada candidato. Está na hora de colocar gente preparada, capacita, arejada, com espirito público e capacidade técnica para gerir uma capital como Campo Grande.

CN - Qual é a visão que você tem da Capital hoje e o que faria diferente para coloca-la em ordem?


Pedro Pedrossian Filho - Campo Grande tem sérios problemas que não são de uma só gestão, um exemplo é o caso da saúde em que há um déficit de quase mil leitos hospitalares. E quem é ou são os responsáveis por isso? Todos os gestores passados, com exceção do ex-governador Pedro Pedrossian, que fez os três únicos hospitais públicos da capital. Não é admissível que na história de Campo Grande apenas um gestor tenha construído hospitais!


Para organizar Campo Grande faremos uma administração comprometida com a solução definitiva dos problemas mais urgentes, como o caos na saúde. Terminar o hospital do Trauma e construir o primeiro hospital municipal será nossa prioridade. Não podemos mais aceitar que uma carreta passe a cada dois anos para cuidar da saúde das pessoas e faça da miséria e ingenuidade humana uma ação de markenting. Não foi assim que eu aprendi a fazer política.


Tenho convicção de que com respeito à vida e ao futuro dos cidadãos campo-grandenses, com respeito a cada centavo do contribuinte, podemos fazer de Campo Grande a cidade que desejamos.

CN - Eleito qual é as suas 3 prioridade da sua gestão?


Pedro Pedrossian Filho - As demandas sociais serão minhas prioridades, tais como: aumento de leitos hospitalares, construção de novos hospitais municipais, contratação de mais médicos; maior qualificação de servidores públicos na saúde, na educação e na assistência social;
Mais vagas em Ceinf’s, mais segurança pública; manutenção municipal mais presente sobre iluminação e pavimentação, além de buscar nas comunidades seus focos de interesse para planejamento e intervenção governamental.

CN - Como seria sua relação com a Câmara de vereadores?


Pedro Pedrossian Filho - Não se faz uma boa gestão sem um bom relacionamento com a câmara. Não à toa a democracia se ampara nos três poderes e o diálogo entre eles é fundamental para o sucesso de uma administração.

CN - Qual a sua opinião sobre cargos e salários de comissionados?


Pedro Pedrossian Filho - Com raras exceções os cargos comissionados são verdadeiros cabos eleitorais, pagos com dinheiro do contribuinte, isso não é aceitável. O dinheiro que poderia ser investido em áreas essenciais, é gasto de maneira inescrupulosa para favorecimento eleitoral.

CN - O que o Senhor acha da queda da Dilma? E o que o senhor espera do Governo Temer?


Pedro Pedrossian Filho - Antes mesmo do anti-petismo tornar-se moda e a constatação do desastre econômico eu já conscientizava as pessoas acerca do perigo de governos de esquerda, populistas, que se ancoram em exemplos fracassados de sociedade, como Venezuela e Cuba. Já alertava para o aparelhamento e paternalismo Estatal e suas consequências.


A queda da Dilma foi fundamental para quebrarmos uma hegemonia política responsável pela crise moral, ética e econômica pela qual o país passa. Espero que o governo Temer rompa com os paradigmas estabelecidos por anos do PT no poder e que tenha discernimento e competência para fazer o melhor para o país.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix