CapitalNews

Quarta-Feira, 16 de Maio de 2018, 07h:00

Copa sem graça

Por Walber Gonçalves de Souza*

Artigo de responsabilidade do autor
Envie seu artigo para opiniao@capitalnews.com.br

Algumas “verdades” que muitos afirmam sobre o esporte mais popular do nosso país, o futebol: por muito tempo sempre ouvir dizer que o Brasil é o país do futebol, que somos o país do talento de onde surgem vários jogadores; que futebol e política caminham lado a lado, mesmo que falem o contrário; alguns chegam a defender que o futebol é o ópio do povo, tamanho o envolvimento popular, e que das coisas menos importantes, é o mais importante.

Divulgação

Walber Gonçalves de Souza - Artigo

Walber Gonçalves de Souza

 

 

Mas algo de estranho parece estar acontecendo com o país do futebol. Recentemente foi divulgada uma pesquisa que mostra que cerca de 40% dos brasileiros não ligam para o futebol e tantas outras pesquisas vêm mostrando que entre os brasileiros que curtem futebol uma parcela considerável prefere torcer para os seus times do que vibrar com a Seleção Brasileira. Algo inusitado e reflexivo.

 

Escrevi este artigo no domingo à noite, portanto um dia antes da convocação dos jogadores que farão parte do grupo da seleção que irá disputar a copa. Coincidentemente, no domingo dia das mães, quando praticamente durante todo o dia estávamos reunidos em família e amigos para festejar a data e não me recordo de que em momento algum o tema seleção brasileira ter sido motivação para o bate papo. Digo isto pois minha família se enquadra entre os amantes do esporte.

 

Recordando meus idos tempos de estudante, num período como este só se conversava sobre a copa; quem seria convocado, de quais times seriam chamados os jogadores, lembro que fazíamos até apostas e como não poderia faltar sempre depois da convocação surgia a gozação contra aqueles times dos quais ninguém fora chamado.

 

Da memória vem a lembrança de ruas enfeitadas, com bandeirolas nas cores verde e amarelo, bem como o meio-fio. Vários muros traziam alguma manifestação alusiva ao campeonato mundial, tantas bandeiras eram vistas pelos cantos e recantos da cidade e carros eram enfeitados com algum adesivo, sempre trazendo o verde e amarelo.

 

Falta pouco mais de um mês para o início da Copa do Mundo e a única coisa que escuto nas rodas de conversa ou leio nos grupos de redes sociais é a lamentação em relação à paralisação do Campeonato Brasileiro. Ainda não entramos no clima da copa e pelo visto a empolgação não será tão reinante assim.

 

E fortificando a relação futebol e política, esta está conseguindo deixar desgostosos até mesmo os amantes do futebol. Parece que houve uma transferência de sentimentos da política para a seleção canarinho. E motivos não faltam, pois basta olhar o histórico recente da Confederação Brasileira de Futebol - CBF.

 

Pelo clima que até agora está se apresentado, estou começando a acreditar que esta será a copa mais sem graça a qual vivenciarei. Falta muito pouco para que grandes mudanças de entusiasmo aconteçam. Mas como ainda estamos no país do futebol, vamos aguardar e ver o que vai acontecer. E viva o Brasil da CBF!

 

 

*Walber Gonçalves de Souza

Professor e membro das Academias de Letras de Caratinga (ACL), Teófilo Otoni (ALTO) e Maçônica do Leste de Minas (AMLM).


Fonte: CapitalNews

Visite o website: wwww.capitalnews.com.br