CapitalNews

Domingo, 02 de Dezembro de 2018, 11h:49

Afinal, o BCAA deve ser consumido antes ou depois do treino?

Por PĂ©rola Cattini

Da coluna Bem-Estar
Artigo de responsabilidade do autor

Para nutricionista da Growth, nos dois momentos é útil tomar os aminoácidos

Istock Photos

ColunaMarcoEusébio

Os aminoácidos isolados se tornaram um sucesso nas academias brasileiras, muito por causa dos boatos que se difundiram sobre os efeitos desses nutrientes no corpo.

"Nenhuma delas têm validade sem a orientação de um profissional", diz o nutricionista Diogo Círico, da Growth Supplements. "Só ele poderá saber se há necessidade de suplementos de aminoácidos, quais deles terão a melhor aplicação e atenderá as necessidades de cada um", completa.

Os BCAA são aminoácidos isolados mais conhecidos e utilizados por atletas amadores -- nas academias é uma febre e, em alguns casos, elas mesmas vendem os produtos aos seus clientes.

BCAA é uma sigla em inglês para "Aminoácidos de Cadeia Ramificada", nome que se deve ao fato da estrutura molecular destes nutrientes estarem ligadas de forma específica e diferente das demais.

Ele possui três tipos distintos de aminoácidos: a leucina, valina e isoleucina, que são formulados de maneiras diversas por cada fabricante. Normalmente, os produtos no mercado brasileiro possuem mais leucina do que valina que, por sua vez, está em maior quantidade do que a isoleucina.

"A diferença real estará no indivíduo que irá consumir os BCAA: pessoas com boas condições físicas, que conseguem realizar treinos intensos e têm grande quantidade de massa muscular precisam de mais leucina do que dos demais. Já pessoas com pouca massa muscular e que estão em um nível iniciante de treinos estarão bem amparadas com a versão 2-1-1", explica o nutricionista.

O suplemento com BCAA já foi estudado exaustivamente por cientistas da nutrição esportiva, que demonstraram recentemente que ele é melhor aproveitado quando consumido antes e depois do exercício físico.

Neste tipo de uso, os BCAA ajudam a reduzir o dano muscular causado pelo esforço, a reagir à fabricação corporal de proteínas, além de influenciarem na recuperação de células de defesa do sangue e manterem a concentração plasmática de glutamina elevada. Seja como for, antes ou depois é válido usá-lo.

“Podemos falar do BCAA, que atua prevenindo a fadiga precoce durante o treino, do famoso e da glutamina, que fornecem suporte nutricional, regeneram os tecidos musculares e ajudam o sistema imunitário, e da maltodextrina, consumida antes e durante o treino para fornecer energia para a atividade”, explica o nutricionista.


Fonte: CapitalNews

Visite o website: wwww.capitalnews.com.br