CapitalNews

Quinta-Feira, 07 de Março de 2019, 11h:32

Operação Carnaval da PMA autua 16 pessoas e aplica R$ 22 mil em multas

A Polícia encerrou nesta quarta-feira a Operação, apesar de o foco ter sido a fiscalização à pesca, outros crimes ambientais também foram fiscalizados.

Flavia Andrade
Capital News

Divulgação/PMA

Operação Carnaval da PMA autua 16 pessoas e aplica R$ 22 mil em multas

A Polícia encerrou nesta quarta-feira a Operação, apesar de o foco ter sido a fiscalização à pesca, outros crimes ambientais também foram fiscalizados.

 

Nesta quarta-feira (06), a Polícia Militar Ambiental (PMA) encerrou a operação Carnaval, com foco principal a prevenção e repressão à pesca predatória. Com relação à operação realizada no carnaval de 2018, houve diferença apenas pelo fato de que no ano passado, somente a pesca na modalidade pesque-solte na calha do rio Paraguai estava aberta, em 2019 , em todos os rios, a pesca estava liberada, exatamente, no início do período de Carnaval.

 

A Polícia Militar Ambiental reforçou o policiamento nos municípios de Corumbá e Porto Murtinho e outras subunidades das cidades com tradição carnavalesca e com tradições pesqueiras, as quais receberam maior número de turistas, tais como: Bonito, Jardim, Coxim, Aquidauana e Miranda. Ao todo, foram disponibilizados 341 homens na Operação. Os comandantes das 25 subunidades empregaram todo o efetivo, inclusive, o pessoal do administrativo, no trabalho de fiscalização.

 

Segundo a PMA, apesar de o foco ter sido a fiscalização à pesca, outros tipos de crimes ambientais foram fiscalizados, tais como: o desmatamento ilegal, exploração ilegal de madeira, incêndios, as carvoarias ilegais e o transporte de carvão e de outros produtos florestais e outros crimes contra a flora, caça e outros crimes contra a fauna, bem como transporte de produtos perigosos e atividades potencialmente poluidoras.

 

Além destes, crimes de outra natureza também foram coibidos nas barreiras e fiscalizações ambientais da PMA, como tem sido feito nos trabalhos rotineiros, quando se tem apreendido drogas, armas, contrabando, veículos furtados e roubados e outros.

 

Conforme o balanço da operação realizado pela PMA, o comparativo entre a Operação 2018 e a Operação 2019 aponta que: 16 pessoas foram autuadas por infrações ambientais, contra 14 autuados na Operação de 2018. Foi aplicado o valor de R$ 22.154,00 e R$ 36.476,00 na Operação passada. Dos 16 autuados, 13 foram por pesca, sendo seis presos por pesca predatória e sete por pescar sem licença, o que não se constitui crime. Na Operação de 2018 foram sete presos por pesca predatória e nenhum autuado por falta de licença. A diferença nos valores de multas é devido a quatro autuados por desmatamento na Operação de 2018, visto que as multas por desmatamento são superiores à pesca.

 

Ainda segundo a PMA, apesar de 13 autuados por pesca, somente 5 Kg de pescado foram apreendidos. A quantidade de pescado apreendida em 2018 foi de somente 28 Kg. Essa baixa quantidade demonstra a importância do trabalho preventivo, com relação aos petrechos de pesca, os números foram dentro de operações anteriores.

 

Com relação as ocorrências, as relativas à pesca predominaram, porém, outros crimes foram combatidos e prevenidos. Um homem foi autuado por exploração ilegal de madeira, outro foi autuado por incêndio em terreno baldio e uma boate foi fechada e o proprietário autuado por poluição sonora.  Já considerando os crimes de outras naturezas à ambiental, dois traficantes foram presos com 17 Kg de maconha em uma motocicleta e uma pessoa foi presa por porte ilegal de um rifle e munições, quando se deslocava para efetuar uma caçada.

 


Fonte: CapitalNews

Visite o website: wwww.capitalnews.com.br