Campo Grande/MS, Terça-Feira, 22 de Janeiro de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Nacional
Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 15h:06
Tamanho do texto A - A+

Vice é preso acusado de mandar matar o prefeito por conflito em Propina

Polícia alega que valor seria de R$ 20 mil para concluir o assassinato, porém não houve repasse

Flavia Andrade
Capital News

Reprodução/TvAnhanguera

Vice é preso acusado de mandar matar o prefeito por conflito em Propina

Polícia alega que valor seria de R$ 20 mil para concluir o assassinato, porém não houve repasse

Nesta semana o vice-prefeito de Novo Acordo, Leto Moura Leitão Filho (PRB) foi preso, acusado de mandar matar o prefeito, Elson Lino de Aguiar (MDB). Segundo reportagem do G1 Tocantins, a Polícia Civil informou que interrogou Moura na Delegacia de Investigações Criminais de Palmas. 

 

Reprodução/TvAnhanguera

Vice é preso acusado de mandar matar o prefeito por conflito em Propina

Prefeito segue internado no Hospital Geral de Palmas e está estável e consciente 

O atentado aconteceu nesta quarta-feira (09) contra o prefeito, Elson Lino de Aguiar, conhecido como “Dotozim”, ele levou três tiros, inclusive na cabeça, mas está fora de perigo. O político está internado no Hospital Geral de Palmas, porém, está consciente e estável. 

 

Além do vice-prefeito, foram presos também: Gustavo Araújo da Silva, suspeito de ser o executor do atentado e o empresário Paulo Henrique Sousa, suspeito de fazer a intermediação entre o político e Gustavo. 

 

Inicialmente o valor seria de R$ 10 mil pelo crime, porém, o depósito não chegou a ser feito. Ainda durante reportagem do G1, o delegado Diogo Fonseca alegou que, “ Isto foi planejado mais ou menos há três meses atrás. A morte do prefeito foi encomendada antes do natal, inclusive. Foi feita uma primeira tentativa, na verdade foram contratados dois indivíduos aqui de Palmas para executar o prefeito de Novo Acordo. Porém, estes dois indivíduos não conseguiram chegar na missão, digamos assim. Eles se deslocaram até Aparecida do Rio Negro, só que lá eles se envolveram em um problema com a Polícia Militar e retornaram.”, explicou o delegado. 

 

Leto Moura Leitão Filho alega não ter participação em nenhum esquema de propina e que irá provar a sua inocência. 

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix