Campo Grande/MS, Sábado, 26 de Maio de 2018 | 10:06
27˚
(67) 3042-4141
Opinião
Domingo, 13 de Maio de 2018, 09h:53
Tamanho do texto A - A+

Carinho

Por Francisco Habermann*

Artigo de responsabilidade do autor
Envie seu artigo para opiniao@capitalnews.com.br

Na farmácia da vida existe um remédio imprescindível, antigo que é. Vem em gotas e atende a todas as indicações para os nossos males. Chama-se CARINHO.

Divulgação

Francisco Habermann - Artigo

Francisco Habermann


É marca reconhecida no universo. Não tem similar, mas é permitida a generalização. O sal-base tem patente registrada, mas a sua produção é liberada. Não se recomenda, entretanto, sua comercialização. É remédio sempre ofertado.

Na bula que acompanha aquelas gotas constam cuidados no seu uso, mas não é registrada nenhuma restrição ou contra indicação. A dosagem depende de quem prescreve - quase sempre uma alma bondosa que só quer ajudar.

Nossas reações é que valem para se avaliarem os efeitos das gotas milagrosas e, curiosamente, ficam marcadas na alma de quem as recebe. Sobre esse item, vale um comentário.

Embora a ciência não acredite em milagres, os estudiosos da farmacologia mundial disponível aos viventes atestam notável melhora de todos os sintomas e sinais clínicos registrados no íntimo das criaturas tratadas com aquelas gotas. Essa observação é corroborada por inúmeros estudos experimentais e clínicos e consta das recomendações seguras de todas as especialidades que cuidam da alma humana. Já há inúmeros estudos comprovando seus efeitos também em animais e em plantas. A molécula de água e os cristais minerais são susceptíveis de seus efeitos.

Ao contrario da farmacopeia disponível nos balcões da vida, aquelas gotas são suaves e seus efeitos perenes, verificáveis mesmo depois de terminado o frasco original por esgotamento ou defeito da embalagem reciclável, jamais do conteúdo. Este é sempre límpido e claro, transparente. Não se deteriora nunca. E é garantido pelo fornecedor universal.

Aqui na Terra, a representante deste extraordinário laboratório divino chama-se MÃE.


Francisco Habermann é professor da Faculdade de Medicina da Unesp em Botucatu. Contato: fhaber@uol.com.br

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix