Campo Grande/MS, Domingo, 17 de Junho de 2018 | 17:48
27˚
(67) 3042-4141
Opinião
Quarta-Feira, 07 de Março de 2018, 07h:00
Tamanho do texto A - A+

Dirigente operariano mostra a humildade maior que o coração

Por Waldemar Gonçalves*

Artigo de responsabilidade do autor
Envie seu artigo para opiniao@capitalnews.com.br

Embora seja público que sou ubiratanense de coração e com muito orgulho disso, não tenho nenhuma procuração aqui para falar -ou seria escrever- sobre a pessoa de Giovanni Giolando Marques, atual presidente do O.A.C (Operário Atlético Clube), todavia, entendo que aí está uma pessoa em Dourados digna de ter muito respeito e admiração por suas ações e ideais e que merece ter o respaldo dos empresários e desportistas douradenses como dirigente de um clube de futebol profissional do interior do Mato Grosso do Sul.

Foto cedida

Waldemar Gonçalves - Russo - Artigo

Waldemar Gonçalves - Russo

 

Giovanni Marques, que tem em mãos um projeto social para o hoje legalmente instituído e documentado Instituto Operário, após insistentes pedidos de supostos operarianos que queria o retorno do clube ao futebol profissional, foi convencido a retornar com o “Tigre” como é denominado o “alvinegro douradense” que foi fundado pelo saudoso e não menos sonhador, Alfio Senatores, a montar um plantel para disputar a “pobre” segunda divisão do futebol, e com isso ganhou o direito de entrar na primeira que mansamente está se encaminhando para a fase do mata a mata até que seja finalmente conhecido o campeão desta edição.

Inicialmente contando com a parceria de um suposto e “malandro empresário” que se apresenta com o nome de uma “empresa gestora” que não merece ter seu nome citado aqui e que é muito conhecido de todos no MS, Giovanni Marques atendeu aos diversos pedidos de volta “Operário” e na chave “B” juntamente com os mais bem estruturados clubes, sendo eles, o 7 de Dourados, Águia Negra de Rio Brilhante, Corumbaense, de Corumbá e URSO (União Recreativo Social Olímpico), de Mundo Novo, entrou para disputar uma das quatro vagas para a fase do mata-a-mata, porém, com uma equipe modesta e inexperiente e sem fazer uma pré-temporada, os resultados não vieram ao longo das oito vezes em que os “guerreiros operarianos” entraram em campo.

PEDIDO DE DESCULPAS
No balanço geral com um plantel pequeno e jovem, com uma ínfima estrutura, o O.A.C cheio de expectativa e principalmente de sonhos foi montado em cima e ao final dos embates,  os “guerreiros operarianos” sucumbiram e ficaram em último lugar na chave, após entrarem em campo por oito vezes, sendo nenhuma vitória, dois empates e seis derrotas, duas delas de goleadas dentro de casa, o estádio Frédis Saldivar, o “Douradão”, com três gols a favor e 18 negativos.

Giovanni Marques ficou quase só no meio do caminho após o “malandro empresário” que volto a repetir, não merece ter seu nome citado aqui abandonar a “barca” no meio do caminho, e como em um passe de passou de mágica, ele passou a contar com a participação decisiva da empresa de assessoria esportiva F10 sob o comando do gestor de futebol, Felipe Ramos, para seguir em frente em sua missão, que é encerrar dignamente a competição, independente dos resultados, e assim foi até o último domingo (04/03) no estádio “Douradão” no adeus a competição dos bravos “guerreiros operarianos” em campo.

Ao termino do último jogo na qual o O.A.C foi goleado por 4 a 0 pelo 7 de Dourados, que vale ressaltar, é um dos favoritos ao titulo deste ano, Giovanni Marques em entrevista a uma emissora de rádio local fez um breve relato da participação de seu glorioso clube na competição, e com uma humildade maior que o seu coração -e corpo- fez um desabafo sincero, honesto e deixando claro que o Operário Atlético Clube já estaria de imediato iniciando uma nova fase visando o futuro, que seria o investimento nas categorias de bases sub-12, 14, 17 e 19 anos.

Dizendo que o clube saia da competição com a cabeça erguida, sem dividas a pagar como muitos outros clubes do MS têm, e com a sensação da missão cumprida, Giovanni Marques disse em tom de desabafo, que somente tem a agradecer a comissão técnica na pessoa do técnico José Viriato Mendes e os seus bravos guerreiros, o apoio da imprensa que o apoiou, dos fieis companheiros e colaboradores operarianos que o acompanharam no dia a dia do clube, da chegada de Felipe Ramos com a sua empresa gestora de futebol, a F10, e o melhor de tudo, Giovanni Marques fez uma coisa que com certeza deixou o criador do O.A.C Alfio Senatore muito feliz aonde quer que ele esteja hoje, pois humildemente, ele pediu desculpa a sua pequena, mas fiel torcida pela pífia campanha no campeonato deste ano, mas assegurou que o sonho contínua e que na próxima edição da competição estadual tem mais, porém a torcida operariana pode começar a sonhar, pois será de uma forma muito bem diferente desta que se encerrou domingo último, muito embora para ele, fosse sem duvida alguma, um grande aprendizado. Avante Operário Atlético Clube rumo aos sonhos de 2019 que com certeza será um ano de grandes realizações e em busca da realidade que será a luta pelo título de campeão para dar de presente à torcida douradense, em especial para a obreira...!!!

 

 

*Waldemar Gonçalves

O Russo é jornalista e integrante do SINJORGRAN

(Sindicato dos Jornalistas da Grande Dourados) 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix