Campo Grande/MS, Domingo, 24 de Setembro de 2017 | 19:01
27˚
(67) 3042-4141
Opinião
Quinta-Feira, 18 de Maio de 2017, 18h:18
Tamanho do texto A - A+

E agora, Brasil?

Envie seu artigo para opiniao@capitalnews.com.br

Por Wellington Anselmo Martins*
Artigo de responsabilidade do autor

Foto cedida

Wellington Anselmo Martins - Artigo

Wellington Anselmo Martins

 

O certo (democrático e legítimo) é devolver o poder de decisão ao povo, convocando eleições presidenciais diretas. Porém, também existe o errado (não necessariamente ruim para a estratégia eleitoral e política da esquerda) que é Michel Temer renunciar agora e esse Congresso conservador colocar como presidente do Brasil alguém simpático ao PMDB-PSDB e que vá fazer avançar o programa anti-trabalhista que Temer já vinha promovendo.


Essa segunda opção é um absurdo! É imoral, golpista e acaba de destruir a democracia atual. Porém, esse aprofundamento do golpe e a violência com que ele está sendo imposto sobre o país irá gerar um movimento social de resposta. Tal reação popular se dará na medida da força do golpe, nunca menor.

Enfim, os golpistas escolheram o caminho do crime: eles derrubaram Dilma sob um pretexto desproporcional, promovem um governo impopular e ilegítimo, tentam prender Lula, o político mais aclamado do país, sem provas, e agora fecham o golpe de modo grosseiro, com a renúncia de Temer e empossamento de mais um golpista no seu lugar.

Ora, isso não ficará sem resposta! A maioria dos brasileiros reagirá, no voto ou na força (ou ambos), contra esse Congresso conservador e contra a usurpação da presidência da República. No fim, a esquerda voltará ao poder central.

 

 

*Wellington Anselmo Martins
Mestre em Comunicação (Unesp), graduado em Filosofia (USC).

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix