Campo Grande/MS, Quinta-Feira, 30 de Março de 2017 | 18:39
27˚
(67) 3042-4141
Opinião
Quarta-Feira, 08 de Março de 2017, 19h:45
Tamanho do texto A - A+

Hoje não deveria ser o dia da mulher, mas o dia de reforçar seus direitos

Envie seu artigo para opiniao@capitalnews.com.br

Por Marco ASA*
Artigo de responsabilidade do autor

Odeio classificações. Eu não tenho amigos gays, amigos negros, amigos gordos, amigas mulheres, eu tenho AMIGOS, e ponto! Por isso eu acho que o “dia da mulher”, com essa nomenclatura, uma hipocrisia. Afinal, hoje é o dia da mulher e os outros 364 são dias dos homens?

Foto cedida

Marco ASA - Artigo

Marco ASA

 

Acho que, da mesma forma que há o “Dia da Consciência Negra”, o dia deveria ser chamado como o “Dia de Luta pelos Direitos da Mulher”. Sim, porque não me venha com essa estória de que as mulheres já têm os mesmos direitos que os homens. Quantas mulheres “ralam” o dia inteiro em trabalhos que, muitas vezes, ganham menos que os homens e, quando chegam em casa, têm que lavar roupa, cuidar dos filhos, fazer a janta e, não raro, fazer faxina na casa, enquanto o marido está na happy hour? Muitas, com certeza.

Como eu professo a doutrina espírita, creio que o planeta está em evolução (embora não pareça). Chegaremos num futuro evoluído quando não haverá mais classificação das pessoas. Vamos conseguir enxergar o “it” do próximo, sem mesmo notar que se trata de homem, mulher, gay, hétero, negro, asiático... só a essência interessará.

Porque 8 de março? - Mas, voltando ao dia de hoje, o 8 de março teve origem com as manifestações das mulheres russas por melhores condições de vida e trabalho, durante a Primeira Guerra Mundial (1917). A manifestação que contou com mais de 90 mil russas ficou conhecida como "Pão e Paz", sendo este o marco oficial para a escolha do Dia Internacional da Mulher no 8 de março, porém somente em 1921 que esta data foi oficializada. O incidente emblemático que marca a luta das mulheres, um incêndio em uma fábrica têxtil de Nova York em 1911, quando cerca de 130 operárias morreram carbonizadas aconteceu, na verdade, em 25 de março.

Então, hoje não parabenize uma mulher pelo “seu dia”. Parabenize pelas conquistas e pela luta que ainda terão pela igualdade, que ainda está longe de acontecer.

 

 

*Marco ASA

Jornalista, publicitário e escritor. Contatos pelo e-mail portalautoasa@gmail.com

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix