Campo Grande/MS, Domingo, 22 de Outubro de 2017 | 09:00
27˚
(67) 3042-4141
Opinião
Quarta-Feira, 04 de Janeiro de 2017, 07h:00
Tamanho do texto A - A+

O maior investimento em presídios

Envie seu artigo para opiniao@capitalnews.com.br

Por Odilon de Oliveira*
Artigo de responsabilidade do autor

O governo federal está liberando R$ 1,2 bi para investimento em presídios. Levando em conta a realidade brasileira, com 60% de todos os presos da América do Sul, esse investimento quase nada significa. O Brasil, com seus 630.000 presos, tem um déficit de 200.000 vagas.

Deurico/Capital News

Odilon de Oliveira

Odilon de Oliveira – Juiz Federal

 

A produção de uma vaga no sistema estadual custa, em média, R$ 50.000,00. Isto significa que, se aplicado esse R$ 1,2 bi só na construção de presídios, seriam produzidas exatamente 24.000 vagas, restando um déficit de 176.000 lugares.

A realidade, porém, não para por aí. A estimativa é que existem 500.000 mandados de prisão a serem cumpridos. Prendendo-se toda essa gente, seria necessário um estoque de 500 mil vagas, cuja construção consumiria a estrondosa quantia de R$ 25 bilhões. Esses novos presos dariam um gasto adicional, com sustento, por ano, de R$ 12 bilhões. Cada preso custa, em média, R$ 2.000,00 por mês.

Os 630.000 presos atuais dão um gasto anual de R$ 14 bilhões, que, somados aos R$ 12 bi (500.000 novos presos), dariam um total de R$ 26 bi por ano, só com manutenção. É melhor deixar soltos esses 500 mil.

O sistema prisional brasileiro, que não recupera ninguém, está completamente falido. A solução está na escola. Todavia, um professor ganha, em média, no Brasil, R$ 1.900,00 por mês, menos do que o custo mensal de um preso (R$ 2.000,00).

 

 

*Odilon de Oliveira

Juiz federal criminal há 30 anos

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix