Campo Grande/MS, Segunda-Feira, 24 de Junho de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Opinião
Domingo, 26 de Maio de 2019, 07h:00
Tamanho do texto A - A+

Ruptura do tendão de Aquiles

Por Ana Paula Simões*

Artigo de responsabilidade do autor
Envie seu artigo para opiniao@capitalnews.com.br

A ruptura do tendão de Aquiles (calcanhar) é uma lesão que afeta a parte de trás da perna e ocorre mais comumente em pessoas que praticam esportes de impacto. A lesão é geralmente seguida por dor extrema e uma incapacidade de utilizar a metade inferior da perna, até mesmo para andar. A lesão pode ser desde um simples estiramento, passando pela lesão parcial ou total. Qualquer uma delas é debilitante e, se você for correr, ficar na ponta dos pés ou jogar qualquer tipo de esporte, vai ter dificuldade. A boa notícia, porém, é que você pode fazer uma série de coisas para tentar evitar essas lesões.

Divulgação

Ana Paula Simões - Artigo

Ana Paula Simões

 

SINAIS E SINTOMAS
Dor e inchaço perto do seu calcanhar, acompanhados ou não de hematoma são comuns. Ocorre uma incapacidade de dobrar o pé para baixo ou "empurrar" a perna no impulso da marcha, ou até mesmo ficar na ponta dos pés. Um som de estalo ou rotura, quando ocorre a lesão também conhecido como sinal da pedrada, portanto você deve consultar imediatamente um ortopedista se você sentir qualquer um desses sinais ou sintomas para ser avaliado.

CAUSAS
A lesão geralmente ocorre na região do tendão que é menos vascularizada, localizada a 4 ou 5cm do ponto em que se liga ao osso do calcanhar. Este local pode estar predisposto à ruptura porque fica com menor fluxo de sangue, o que pode prejudicar a sua capacidade de cicatrizar. As lesões muitas vezes são causadas por um aumento repentino na quantidade de estresse no tendão de Aquiles, algumas doenças e medicamentos ou a própria degeneração. Exemplos comuns incluem:

- Aumento da intensidade no esporte (treino ou competição)
- Pisar em um buraco, ou torção com ou sem contato físico
- Fraqueza muscular ou degeneração tendinosa

FATORES DE RISCO
- A idade média para ruptura do tendão de Aquiles é de 30 a 40.
- cinco vezes mais probabilidade de ocorrer em homens
- Ocorrem com mais frequência em esportes que envolvem corrida, salto e arranques e paradas repentinas
- Infiltração com corticoide para reduzir a dor e inflamação pode enfraquecer os tendões e tem sido associada com ruptura do tendão de Aquiles quando realizada mais de duas a três vezes por ano
- Certos antibióticos como fluoroquinolonas, como a ciprofloxacina (Cipro) ou levofloxacina (Levaquin), aumentam o risco de ruptura

Durante o exame físico, o médico irá inspecionar sua perna. Em muitos casos, podemos sentir uma lacuna (gap) em seu tendão se uma ruptura completa ocorreu. O médico também pode pedir-lhe para se ajoelhar em uma cadeira ou deitar e vai apertar o seu músculo da panturrilha, para ver se o seu pé automaticamente flete. Se isso não acontecer, você provavelmente ter rompido o tendão de Aquiles.

Se há uma pergunta sobre a extensão da sua lesão no tendão de Aquiles - se é total ou parcialmente rompido - o seu médico pode pedir um exame de ressonância magnética (RNM) ou ultrassonografia (US).

TRATAMENTOS
O melhor tratamento para um tendão de Aquiles lesionado muitas vezes depende de sua idade, nível de atividade e da gravidade da sua lesão. Em geral, mais jovens e mais pessoas ativas, muitas vezes optam pela cirurgia para reparar uma ruptura completa, enquanto as pessoas mais velhas são mais propensas a optar por tratamento não cirúrgico. Estudos recentes, no entanto, têm demonstrado eficácia bastante igual de gestão tanto operatório e não cirúrgico.

REABILITAÇÃO
Após o tratamento, se cirúrgico ou não cirúrgico, você vai passar por um programa de reabilitação que envolve exercícios de fisioterapia para fortalecer os músculos das pernas e tendão de Aquiles. A maioria das pessoas voltam ao seu nível anterior de atividade em média de quatro a seis meses.

PREVENÇÃO
Para reduzir a chance de desenvolver problemas de tendão de Aquiles, siga estas dicas:

- Alongar e fortalecer os músculos da panturrilha.
- Não saltar durante uma corrida sem estar devidamente aquecido
- Fortalecimento e exercícios também podem ajudar o músculo e tendão a absorverem mais força e evitar lesões.
- Varie os exercícios. Alternando esportes de alto impacto, como a corrida, com esportes de baixo impacto, como caminhadas, andar de bicicleta ou nadar. Evite atividades que colocam o estresse excessivo nos tendões de Aquiles, tais como subidas e pular durante as atividades.
- Escolha as superfícies com cuidado. Evite ou limite a correr em superfícies duras, irregulares ou escorregadias.
- Vista-se adequadamente para o tempo frio e use tênis com boa absorção de impacto
- Aumente a intensidade do treino lentamente. Lesões do tendão de Aquiles comumente ocorrem depois que uma pessoa aumenta abruptamente os treinos. Aumente a distância, duração e frequência de sua formação, não mais do que 10% a cada semana.

 

 

*Ana Paula Simões

Professora Instrutora da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e Mestre em Medicina, Ortopedia e Traumatologia e Especialista em Medicina e Cirurgia do Pé e Tornozelo pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. É Membro titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia; da Associação Brasileira de Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé, da Sociedade Brasileira de Artroscopia e Traumatologia do Esporte; e da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix