Campo Grande/MS, Quarta-Feira, 12 de Dezembro de 2018 |
27˚
(67) 3042-4141
Opinião
Sexta-Feira, 10 de Agosto de 2018, 07h:49
Tamanho do texto A - A+

Transmissão da gripe

Por Marco Aurélio Palazzi Sáfadi*

Artigo de responsabilidade do autor
Envie seu artigo para opiniao@capitalnews.com.br

Divulgação

Marco Aurélio Palazzi Sáfadi - Artigo

Marco Aurélio Palazzi Sáfadi

 

A gripe, assim como a maioria das infecções respiratórias, é transmitida por meio de tosse e espirros. Portanto, se estou com gripe, ao tossir, os indivíduos que estão ao meu redor podem se contaminar com esse vírus. Por isso, recomenda-se evitar locais fechados e com aglomerações.

Além da via respiratória, há outro importante mecanismo na transmissão da gripe. Eu tusso e, ao colocar a mão na boca, o vírus ali se localiza. Quando seguro uma maçaneta, por exemplo, o vírus vai para ela e, se um indivíduo a toca, pode passar para a mão dele. Assim, ao coçar o nariz ou esfregar a mão nos olhos, essa pessoa pode ser contaminada pelo vírus.

Nesse contexto, além de evitar, na medida do possível, locais com muita gente, é conveniente lavar as mãos com frequência. Isso é fundamental para que seja possível diminuir o risco de contrair infecções respiratórias.

Ressalte-se ainda que é essencial, em termos de prevenção dos indivíduos dos chamados grupos de risco (crianças de 6 meses a menores de 5 anos; gestantes; trabalhadores de saúde; povos indígenas; indivíduos com 60 anos ou mais de idade; pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis ou de outras condições clínicas especiais), que eles recebam anualmente a vacina da gripe para diminuir o risco de adquirir a doença.

 

 

*Marco Aurélio Palazzi Sáfadi

Diretor do Departamento de Pediatria da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Contato:masafadi@uol.com.br

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix