Campo Grande/MS, Quarta-Feira, 19 de Setembro de 2018 | 09:09
27˚
(67) 3042-4141
Opinião
Sábado, 14 de Abril de 2018, 07h:00
Tamanho do texto A - A+

Um caminho para o futuro

Por José Fernando Aparecido de Oliveira*

Artigo de responsabilidade do autor
Envie seu artigo para opiniao@capitalnews.com.br

A rodovia MG10 liga as tricentenárias cidades de Conceição do Mato Dentro, Serro e Diamantina, e até hoje tem um longo trecho em estrada de terra, na parte final da Estrada Real. Asfaltá-lo, além de ligar as históricas cidades é, sobre tudo, unir o Alto Jequitinhonha com o Médio Espinhaço, e dois importantes circuitos turísticos; o da Serra do Cipó ao dos Diamantes.

Divulgação

José Fernando Aparecido de Oliveira - Artigo

José Fernando Aparecido de Oliveira

 

Isso tudo descortinará um cenário imenso de possibilidades e oportunidades para o desenvolvimento do turismo nessa parte privilegiada de Minas, com seus atrativos históricos, culturais, naturais, ecológico e religioso. Vale destacar que dentro dos circuitos estão também parques municipais, estaduais e federais, muitos deles compreendidos dentro da Reserva da Biosfera, tombada pela UNESCO.

Esses parques desempenham importantíssimo papel tanto na preservação da fauna e da flora, como das muitas belezas naturais que estão nessa porção abençoada de Minas Gerais, assegurando para a posteridade a integridade das muitas preciosidades existentes no maciço do Espinhaço. Essa região de Minas alimenta ainda com seus rios e nascentes duas importantes bacias hidrográficas: a do São Francisco e do Rio Doce.

São muitos os atrativos que estão às margens da MG10 nesse trecho, e esse asfaltamento ligará a maior cachoeira de Minas, Tabuleiro, à histórica cidade do Serro, com seus distritos cinematográficos, como Milho Verde e São Gonçalo do Rio das Pedras. A Diamantina, com suas vesperatas e seus emblemáticos personagens, como Xica da Silva, João Fernandes e Juscelino Kubistchek. A Biribiri, Três Barras, tudo isso às margens dessa rodovia estadual. Esse asfaltamento abrirá também a possibilidade da criação de novos roteiros turísticos, integrando e interagindo os programas culturais, com passeios às belezas naturais, aos atrativos históricos e religioso, todos eles a um raio de no máximo 100km. Não é demais lembrar que todos esses destinos turísticos ficarão ligados também ao aeroporto de Confins, que está a apenas 65km da Serra do Cipó e 125km de Conceição do Mato Dentro.

Além de ligar o Médio Espinhaço com o Alto Jequitinhonha, o asfaltamento da MG10 inaugurará uma nova rota de desenvolvimento para o Vale do Jequitinhonha, que passa a ter uma ligação direta com a área central do Estado, encurtando caminhos, diminuindo distâncias e aproximando pessoas. Isso impacta diretamente na vida do cidadão de toda essa imensa região, principalmente no escoamento das produções primárias, em sua maioria de médios e pequenos produtores, barateando também o transporte e carreto por este trajeto mais curto e seguro. Pavimentar os 25km restantes da MG10 é pavimentar um futuro melhor para o povo que vive há séculos na região mineradora das Minas Gerais, um povo historicamente esquecido.

Cabe agora ao governador Fernando Pimentel dar a ordem de início para o asfaltamento desta estrada, cujos recursos de 2/3 de todo o total da obra já estão disponíveis, liberados pelo Anglo American.

 

 

*José Fernando Aparecido de Oliveira

Prefeito de Conceição do Mato Dentro e presidente da Associação das Cidades Históricas de Minas Gerais

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix