Campo Grande/MS, Quarta-Feira, 19 de Setembro de 2018 | 07:15
27˚
(67) 3042-4141
Opinião
Domingo, 08 de Julho de 2018, 07h:00
Tamanho do texto A - A+

Vencendo preconceitos

Por Oscar D'Ambrosio*

Artigo de responsabilidade do autor
Envie seu artigo para opiniao@capitalnews.com.br

Poucas pessoas na história da humanidade, ao que sabemos, venceram tantos preconceitos e conseguiram reconhecimento como a cientista polonesa naturalizada francesa Marie Skłodowska Curie (1867 – 1934). Pioneira em pesquisas na radioatividade e na sua ação contra o câncer, atingiu vários ineditismos.

Unesp

Oscar D'Ambrosio - Artigo

Oscar D'Ambrosio

 

Foi a primeira mulher a ser laureada com um Prêmio Nobel e a primeira pessoa e única mulher até hoje a ganhar o prêmio duas vezes. E foi anda a primeira mulher a ser admitida como professora na Universidade de Paris e a primeira a ser enterrada por méritos próprios no Panteão daquela cidade.

O filme ‘Marie Curie’, de Marie Noëlle, narra tudo isso sem deixar de lado o escândalo em que foi destaque mundial por, já viúva, ter se envolvido com um homem casado, algo que quase a impediu de receber o Nobel. Acima de tudo, a cientista é apresentada como uma defensora do conhecimento.

Isso significava inclusive praticar e defender uma concepção de ensino em que as experiências de laboratório fossem intensificadas para meninos e meninas. Assim, entendendo a ciência como forma de prática de enfrentar o desconhecido, combateu o preconceito e, acima de tudo, deixou um imortal legado para a humanidade.

 

 

*Oscar D'Ambrosio

Mestre em Artes Visuais e doutor em Educação, Arte e História da Cultura, é Gerente de Comunicação e Marketing da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix