Campo Grande/MS, Segunda-Feira, 22 de Abril de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Polícia
Quarta-Feira, 13 de Fevereiro de 2019, 10h:52
Tamanho do texto A - A+

PM’s prestam homenagem à família de policial assassinado

Eles participaram do enterro do colega morto no último domingo, em Maracaju

Caroline Carvalho
Capital News

Divulgação/PMMS

PM’s prestam homenagem à família de policial assassinado

Cúpula da PMMS e Sejusp foram a Maracaju em apoio a família de policial assassinado

Policiais militares do estado foram até a cidade de Maracaju na tarde de ontem (12) para prestar apoio e homenagem aos familiares do colega Juciel Rocha Professor, morto em seu horário de folga, quando lanchava na companhia de amigos em uma conveniência daquela cidade no domingo.

 

Participaram do cortejo fúnebre o secretário adjunto da Sejusp (Secretaria da Justiça e Segurança Pública), Ary Carlos Barbosa e o Comandante-Geral da PMMS (Polícia Militar de Mato Grosso do Sul), Waldir Ribeiro Acosta, juntamente com diversos membros da guarnição, manifestando à família o pesar da instituição e de todos os policiais militares. Representantes do poder judiciário e do Ministério Público também estiveram no local.  

 

De acordo com o Comandante-Geral da instituição, Waldir Ribeiro Acosta, o objetivo do deslocamento dos oficiais até o local foi, além de prestar as condolências aos entes do policial militar, mostrar a união das instituições para elucidar e prender os supostos autores do referido crime. 

 

“As instituições estão focadas e unidas em elucidar, o mais rápido possível, qualquer situação que atente contra a vida ou a segurança de qualquer agente de segurança pública, e esta reunião, bem como os resultados obtidos até o momento, comprovam essa parceria”, declarou.

 

Entenda o caso 

Reprodução/Facebook

PM’s prestam homenagem à família de policial assassinado

O policial Juciel Rocha Professor estava lanchando com amigos quando foi assassinado por integrantes do PCC, no último domingo (10)

O policial Juciel Rocha Professor, de 25 anos, foi executado na madrugada do último domingo (10), com pelo menos cinco tiros na cabeça. No momento do crime, ele estava lanchando em um comércio no centro de Maracaju, na companhia de amigos e da namorada. 

 

Investigações preliminares apontam que o motivo seria vingança dos integrantes da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), pela atuação do policial no combate ao crime organizado na cidade. Pelo menos quatro suspeitos de envolvimento no crime foram localizados e tiveram a prisão preventiva decretada pela Justiça na tarde desta segunda-feira (11). 

 

Os membros da facção capturados até o momento são: Fabiano Alves Ferreira, Eduardo Rocha Cavanha, Patrique Cáceres do Carmo e Maicon Barbosa Belo. Todos possuíam condenação criminal anterior, tendo um deles saído há cerca de 22 dias da cadeia. Durante audiência de custódia, eles pediram ao juiz que fossem encaminhados ao Presídio de Segurança Máxima de Campo Grande, onde o grupo costuma atuar. 

 

Segundo investigações, o grupo agiu de modo coordenado e com divisão de tarefas na execução da morte do policial. Diante da constatação de antecedentes criminais de alta gravidade, eles tiveram a prisão preventiva decretada pelo juiz Marco Antonio Montagnana Morais decretou a prisão preventiva, para garantia da ordem pública e da regular instrução criminal.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix