Campo Grande/MS, Domingo, 21 de Julho de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Polícia
Quarta-Feira, 22 de Agosto de 2018, 09h:32
Tamanho do texto A - A+

Polícia paraguaia prende suspeito de matar estudante brasileira

Eletricista foi detido na casa do irmão em Concepción com o mesmo boné que usava no dia do crime

Renato Giansante
De Dourados para o Capital News

Divulgação/Polícia

Polícia paraguaia prende suspeito de matar estudante brasileira

Homem é acusado de ser o assassino da estudante de Medicina em Pedro Juan Caballero

Está preso o principal suspeito de matar a estudante brasileira Erika de Lima Corte, de 29 anos, na madrugada de segunda-feira em Pedro Juan Caballero, município que faz fronteira com Ponta Porã. O eletricista, de 27 anos, estava na casa do irmão em Concepción e foi detido na madrugada desta quarta-feira.

Arquivo Pessoal/Facebook

Cidade do MT decreta luto por morte de estudante no Paraguai

Erika foi brutalmente assassinada na segunda-feira

 

De acordo com a polícia paraguaia, uma informação levou a investigação para aquela cidade. Uma equipe realizou vigília para observar a casa onde poderia estar o suspeito. Por volta das 4h20, o homem saiu em veículo corsa, de cor prata, e foi abordado na sequência.

O acusado estava com a mesma cor de boné que a polícia observou em câmeras de segurança de uma conveniência circulando próxima a casa de Erika na noite do crime. Ele teria comprado um pote de sorvete e entrado em um Corsa prata na sequência. O sorvete foi encontrado na casa de Erika.

A vítima foi morta com 19 golpes de punhal e seu corpo deixado na casa onde morava com outra estudante durante o período de faculdade. Erika era filha do ex-prefeito de Pontal do Araguaia (MT), cidade onde foi velada e enterrada nesta terça-feira.

O eletricista conheceu Erika durante um serviço na residência vizinha a dela. Depois, passou a sediar a mesma e sempre foi rejeitado. O homem ainda foi acusado em 2012 por um crime semelhante a este, também em Pedro Juan Caballero. Na época, uma estudante paraguaia Daisy Patricia Benítez Gómez, de 26 anos, foi estrangulada, torturada e morta a golpes de punhal. O acusado chegou a ser preso, mas por falta de provas acabou sendo liberado.

A polícia paraguaia está trazendo o eletricista para Pedro Juan Caballero onde será ouvido e provavelmente terá a prisão preventiva decretada.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix