Campo Grande/MS, Quarta-Feira, 19 de Dezembro de 2018 |
27˚
(67) 3042-4141
Polícia
Quinta-Feira, 06 de Dezembro de 2018, 16h:37
Tamanho do texto A - A+

Vereadores presos em operação são, transferidos para penitenciária de Dourados

Mesmo preso, Idenor Machado (PSDB), ainda concorre a presidência da Câmara que ocorre nesta sexta-feira

Flávio Veras
Capital News

 

Divulgação/CMD

Vereadores Dourados

Cirilo Ramão, Pedro Pepa, servidor Amilton e Idenor Machado

Os vereadores Idenor Machado (PSDB), Cirilo Ramão (MDB) e Pedro Pepa (DEM), presos na Operação Cifra Negra na tarde de quarta-feira (5), foram encaminhados na tarde de hoje (6/12) para a PED (Penitenciária Estadual de Dourados).

 

Segundo reportagem do Dourados News, além deles, o ex-vereador Dirceu Longhi (PT) e o ex-servidor da Câmara, Amilton Salina - alvos da mesma ação - Também foram levados à penitenciária. 

 

Imbróglio

O vereadores Pedro Pepa é candidato à presidência da Câmara de Vereadores nesta sexta-feira (7). Segundo a atual presidente da Casa, Daniella Hall, regimentalmente “não há impedimento para que eles sejam eleitos, caso a maioria dos parlamentares decida pela escolha da chapa dele”, explicou.

 

A presidente afirmou que, mesmo sem 3 vereadores, a eleição acontecerá normalmente com os outros 16 vereadores aptos. Pedro Pepa era primeiro-secretário da mesa diretora. 

 

Entenda

As prisões foram feitas por policiais civis do 2º Distrito Policial, acompanhados pelo Ministério Público Estadual (MPE) e 16ª Promotoria de Defesa do Patrimônio Público, liderados pelo promotor Ricardo Rotunno. Os parlamentares são investigados na operação Cifra Negra, que investiga suposto de esquema de corrupção envolvendo o setor de Tecnologia da Informação da Câmara. 

 

 

Ao todo, foram expedidos dez mandados de prisão e um de busca e apreensão,nas cidade de Dourados em Campo Grande, pelo  juiz da 1ª Vara Criminal, Luiz Alberto de Moura Filho. De acordo com nota encaminhada à imprensa, a ação é originária de outras duas operações, a Telhado de Vidro e a Argonautas – deflagradas em 2013 em 2014 - e que investigam crimes de colarinho branco. 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix