Campo Grande/MS, Quarta-Feira, 20 de Junho de 2018 | 13:04
27˚
(67) 3042-4141
Política
Terça-Feira, 12 de Junho de 2018, 18h:15
Tamanho do texto A - A+

Caravana da Saúde nas Escolas realizou 94.065 exames

Nos primeiros quatro meses do ano, Estado empenhou mais de meio bilhão de reais para a Saúde

Flávio Brito
Capital News

Luciana Nassar/ALMS

Caravana da Saúde nas Escolas realizou 94.065 exames

Secretária-adjunta de Estado de Saúde, Gysélle Saddi Tannous

Acompanhada do secretário estadual de Saúde, Carlos Alberto Coimbra, a secretária-adjunta de Estado de Saúde, Gysélle Saddi Tannous, apresentou aos deputados, nesta terça-feira (12), o relatório resumido da prestação de contas da pasta referente ao 1º Quadrimestre deste ano para a pasta. O relatório foi entregue à Comissão Permanente de Saúde da Casa de Leis no dia 28 de maio.  O evento ocorreu no Plenarinho Nelito Câmara, por proposição do deputado Dr. Paulo Siufi (PMDB), presidente da Comissão, em consonância ao disposto na Lei Complementar 141/2012. 

 

Segundo dados apresentados pelos técnicos da Secretaria, a execução orçamentária para o período foi de R$ 500.074.437,43 empenhados, R$ 370.457.549,72 liquidados e R$ 314.050.516,44 pagos. Valores referentes somente a custo de pessoal e encargos sociais somaram R$ 108.974.425,15 empenhados, R$ 105.709.718,31 liquidados e R$ 91.627.706,17 pagos. Consultas e atendimentos demandaram mais de R$ 44 mil, que fizeram parte da produção hospitalar com mais de R$ 2,6 milhões de financiamento a procedimentos.

 

Gysélle ressaltou pontos que considera positivos e os valores norteadores das ações na SES. Responsabilidade, compromisso e transparência, citou ela. “Temos avançado em várias frentes, em especial na qualificação do trabalho de gestão e atenção à saúde e realizamos capacitações diversas, como aos agentes de saúde indígenas”, disse. Segundo ela, a Caravana da Saúde Indígena atendeu 1.756 indígenas, com mais de 8 mil procedimentos, entre os dias sete e oito de abril.  

 

Já a Caravana da Saúde nas Escolas realizou 94.065 exames até 25 de maio último, garantindo atendimento a 18.813 estudantes da rede pública de ensino. “Identificamos que 4.214 alunos tinham alguma alteração auditiva ou visual e eles estão recebendo o atendimento adequado para utilizarem óculos e aparelho auditivo”, informou. O número corresponde a 22,4% do total de estudantes atendidos.

 

A secretária adjunta informou que, durante os quatro primeiros meses do ano, foram realizados 37 transplantes de córnea no Estado, 5 de rins e 1 transplante ósseo. Enfatizou que são prioridades da gestão pública estadual as ações direcionadas à saúde da mulher, da criança, do homem e o atendimento aos detentos nas unidades prisionais.

 

“A saúde é um desafio gigantesco e necessita da corresponsabilidade de cada cidadão. Todos queremos um SUS [Sistema Único de Saúde] forte”, afirmou a secretária-adjunta. “Entre os desafios, estamos trabalhando para ampliar as notificações nas diversas áreas”, complementou.

 

Coordenador da Frente Parlamentar de Defesa da Assistência Social, o deputado João Grandão (PT), lembrou que o grupo tem trabalhado em uma proposta que faça a adequação da legislação estadual para tornar compulsória a notificação dos casos de câncer no Estado.

 

“De acordo com a legislação federal, as pessoas diagnosticadas com câncer devem iniciar o tratamento em até 60 dias, mas muitas vezes os casos não são notificados como deveriam. Já existe uma lei estadual nesse sentido, mas temos discutido, inclusive com audiências públicas, modificações para torná-la mais eficiente a quem precisa”, explicou.

 

Presidente da Comissão de Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia da Casa de Leis, o deputado Pedro Kemp (PT) parabenizou Gysélle pelo atendimento oferecido aos estudantes e solicitou a ampliação do programa junto às instituições de ensino. “A iniciativa é muito boa e necessária e deve chegar aos demais estudantes, considerando que a rede estadual pública de ensino conta com 250 mil alunos”, reiterou.

 

“É uma prestação de contas não somente à Assembleia Legislativa, mas a toda a sociedade”, afirmou o deputado Barbosinha (DEM). Já o deputado Amarildo Cruz (PT), parabenizou a secretária-adjunta pelos indicadores positivos alcançados e fez um apelo: “Temos uma lei aprovada e que aguarda regulamentação por parte do Governo. Tão somente determina a divulgação de uma lista, em cada unidade de saúde pública, com os nomes, CRMs e especialidades dos médicos que estão em atendimento em cada localidade. A população tem o direito de saber. Isso é mais controle social e transparência e espero contar com o apoio de todos vocês da secretaria para a regulamentação”, afirmou.   

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix