Campo Grande/MS, Domingo, 19 de Novembro de 2017 | 03:58
27˚
(67) 3042-4141
Política
Terça-Feira, 16 de Maio de 2017, 17h:56
Tamanho do texto A - A+

Deputado Carlos Marun acredita que a Câmara caminha para a aprovação da Reforma da Previdência

Para ele, “várias reformas necessárias, mas a da Previdência é imprescindível”

Maisse Cunha
Especial para o Capital News

O documento

Deputado Carlos Marun acredita que a Câmara caminha para a aprovação da Reforma da Previdência

Deputado Carlos Marun

O Deputado Federal Carlos Marun (PMDB), presidente da Comissão Especial da Reforma da Previdência da Câmara dos Deputados, se encontrou, nesta segunda-feira (15/5) com o Presidente da Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso do Sul (FIEMS), Sérgio Longen,  para discutir alguns pontos da Reforma da Previdência, articulada pelo presidente Michel Temer (PMDB).

Segundo o parlamentar, os pontos do projeto original considerados prejudiciais pelos trabalhadores na reforma da Previdência não existem mais: “o que existe hoje é um substitutivo, é um novo projeto, aprovado na Comissão que, não só mantém o ajuste fiscal, que na verdade existe necessidade de um ganho fiscal, mas que atenua e torna muito menos abrupta, digamos, a implantação dessa reforma”, garante Marun.

Wilson Dias/Agência Brasil

Renan diz no STF que Senado não terá voto em "função do que a família quer"

O senador Renan calheiros é contrário à medida

 

A impopular reforma divide opiniões até da própria bancada do PMDB, partido do ex-deputado, agora cassado, Eduardo Cunha. Segundo o senador Renan Calheiros (PMDB-AL), líder do governo na Casa, a reforma não passa pois é “exagerada”. De acordo com o alagoano, a medida trata “desiguais de forma igual”.

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC), em trâmite na Câmara, prevê, entre outros pontos, que homens e mulheres só poderão se aposentar com 65 anos de idade e o tempo mínimo de contribuição para pedir a aposentadoria será de 25 anos. A aposentadoria integral só será concedida após 49 anos de contribuição.

Para aprovar a Reforma da Previdência, são necessários 308 votos, em dois turnos. Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara dos Deputados, revelou, também, na tarde de ontem, que não há data para a nova votação.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix