Campo Grande/MS, Segunda-Feira, 24 de Julho de 2017 | 14:47
27˚
(67) 3042-4141
Política
Quinta-Feira, 18 de Maio de 2017, 08h:57
Tamanho do texto A - A+

Donos da JBS gravaram Aécio Neves pedindo propina de R$2 milhões

O Senador diz estar absolutamente tranquilo diante das acusações

Maisse Cunha
Capital News

Gazeta do Povo

Donos da JBS gravaram Aécio Neves pedindo propina de R$2 milhões

 

Os irmãos Joesley e Wesley Batista, donos do frigorífico JBS, um dos maiores financiadores de campanhas eleitorais do país, entregaram uma gravação em que o Senador Aécio Neves, Presidente Nacional do PSDB, aparece pedindo propina de R$2 milhões aos empresários.

O dinheiro, segundo o senador, seria para pagar seus advogados, no âmbito da Operação Lava Jato. O material, gravado em março deste ano,  tem cerca de 30 minutos.

O tucano indicou seu primo, Frederico Pacheco de Medeiros, ex-diretor da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) e um dos coordenadores da campanha do tucano à Presidência em 2014, para receber o dinheiro:  “Tem que ser um que a gente mata ele antes de fazer delação. Vai ser o Fred com um cara seu. Vamos combinar o Fred com um cara seu porque ele sai de lá e vai no cara. E você vai me dar uma ajuda do c.”, diz Aécio.

O registro foi feito pelo próprio Joesley, no dia 24 de março, durante encontro com o tucano, no Hotel Unique, em São Paulo.

A gravação faz parte do material que os irmãos entregaram à Procuradoria-Geral da República para fechar um acordo de delação premiada.

A Polícia Federal já tinha conhecimento prévio do fato e rastreou o caminho do dinheiro, por meio do rastreamento do número de série das cédulas e, também, com chip na mochila utilizada para a transação.

DCM

Donos da JBS gravaram Aécio Neves pedindo propina de R$2 milhões

Amigos, Senadores Zezé Perrella e Aécio Neves

O dinheiro foi depositado em favor de um a empresa do também Senador Zezé Perrella (PMDB-MG). Em 2013, um helicóptero, registrado em nome de sua família, foi encontrado pela Polícia Federal com 450kg de cocaína.


Com a palavra,  o Senador Aécio Neves:

“O senador Aécio Neves está absolutamente tranquilo quanto à correção de todos os seus atos. No que se refere à relação com o senhor Joesley Batista, ela era estritamente pessoal, sem qualquer envolvimento com o setor público. O senador aguarda ter acesso ao conjunto das informações para prestar todos os esclarecimentos necessários.”

1 COMENTÁRIO:

http://www.correiodobrasil.com.br/morte-suspeita-de-detetive-que-acusou-aecio-neves-alerta-movimentos-sociais/ O detetive Lucas Gomes Arcanjo, afastado do serviço por licença médica, foi encontrado morto na janela de seu quarto com uma gravata enrolada no pescoço. Conhecido por fazer denúncias que associavam o senador Aécio Neves (PSDB) à lavagem de dinheiro e ao narcotráfico, o policial já havia sofrido quatro atentados, como supostas formas de retaliação. Um deles o deixou com uma seqüela na perna que o obrigou a andar com ajuda de bengala. A família não acredita em suicídio Em 2014, o policial civil Lucas Gomes Arcanjo postou no Facebook com graves denúncias ao senador Aécio Neves, então candidato à Presidência da República pelo PSDB.O vídeo viralizou na rede. Teve mais de um milhão de visualizações, além de 120 mil compartilhamentos Lucas foi um exemplo de coragem na luta pela ética, legalidade e moralidade no serviço público. Não se acovardou diante das ameaças e retaliações e enfrentou a cúpula do poder em Minas Gerais, durante a gestão do PSDB, para denunciar um esquema milionário de fraudes no Detran-MG. Por várias vezes, esteve na Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas – quando presidida por este deputado – para relatar irregularidades, cuja apuração cobramos, insistentemente, dos órgãos competentes.
enviado por: Verdade em 18/05/2017 às 15:43:39
0
 
0
responder

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix