Campo Grande/MS, Sexta-Feira, 19 de Julho de 2019 |
27˚
(67) 3042-4141
Política
Terça-Feira, 25 de Junho de 2019, 15h:51
Tamanho do texto A - A+

Inclusão de educação financeira em escolas estaduais é aprovada

Projeto é de autoria do deputado Marçal Filho

Flavia Andrade
Capital News

Luciana Nassar/ALMS

Inclusão de educação financeira em escolas estaduais é aprovada

Projeto é de autoria do deputado Marçal Filho

Nesta terça-feira (25), os deputados estaduais aprovaram quatro projetos durante sessão na Assembleia Legislativa. O principal destaque foi a aprovação por maioria do Projeto de Lei 25/2019, que propõe a inclusão do tema educação financeira nos componentes curriculares das escolas da Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul. O assunto deverá ser trabalhado no Ensino Médio como conteúdo complementar.

 

De acordo com o autor do projeto, deputado Marçal Filho, “Quero agradecer a todos que votaram a favor, assim vamos contribuir para a redução do alto número de inadimplentes no Brasil por falta de educação financeira, que se começar cedo, vai fazer com que nossos jovens saibam lidar melhor com o dinheiro”. A proposta segue para votação em Redação Final por ter sofrido emendas.

 

Os parlamentares aprovaram também, em discussão única o Projeto de Resolução 15/2019, que cria o Diploma de Honra ao Mérito Legislativo em comemoração aos 40 anos do Parlamento Sul-Mato-Grossense, para homenagear os parlamentares suplentes que atuaram durante a Primeira Constituinte de Mato Grosso do Sul e o Projeto de Lei 95/2019, de autoria do deputado Cabo Almi (PT), que obriga a disponibilização de um funcionário para atender idosos e deficientes em terminais de autoatendimento dos bancos. Este foi aprovado em primeira votação e segue para análise das comissões de mérito.

 

Ainda foi aprovado durante a Ordem do Dia em primeira discussão, e segue para análise das comissões o Projeto de Lei 66/2019, da Mesa Diretora, que altera a redação do Estatuto dos Servidores do Poder Legislativo do Estado de Mato Grosso do Sul (Lei 4.091/2011). A mudança, que prevê a ampliação de cinco para 20 dias para licença-paternidade aos servidores da Assembleia Legislativa, foi aprovada por maioria.

 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix