Campo Grande/MS, Terça-Feira, 26 de Setembro de 2017 | 05:13
27˚
(67) 3042-4141
Política
Segunda-Feira, 11 de Setembro de 2017, 09h:13
Tamanho do texto A - A+

Joesley Batista e executivo da J&F são presos e serão levados para Brasília

A Polícia Federal realiza nesta segunda Operação “Bocca” relacionada à delação dos executivos da controladora do JBS

Flávio Brito
Capital News

Rovena Rosa/Agência Brasil

Joesley Batista presta depoimento na Polícia Federal em SP

Joesley Batista

O empresário Joesley Batista, um dos donos do grupo J&F, e o executivo da empresa Ricardo Saud estão presos desde o início da tarde deste domingo (10), na sede da Polícia Federal, em São Paulo, onde passaram a noite. Eles deverão ser levados de São Paulo para Brasília nesta segunda-feira (11) pela Polícia Federal (PF). Batista e Saud foram presos a pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e a ordens de prisão foram dadas pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Facchin.

No despacho, o ministro pediu “máxima descrição” no cumprimento do mandado e acrescentou a indicação de fosse evitado o uso de algemas, por não se tratar indivíduos perigosos. Conforme as informações já divulgadas sobre as prisões, o avião da PF que levará os dois deve pousar em Brasília por volta das 13h. A primeira parada deve o Instituto Médico Legal para a realização do exame de corpo de delito. Batista e Saud se apresentaram espontaneamente à superintendência da PF, em São Paulo.

“Joesley Batista e Ricardo Saud reafirmam que não mentiram nem omitiram informações no processo que levou ao acordo de colaboração premiada e que estão cumprindo o acordo”, diz a nota divulgada pela defesa, mencionando o acordo de delação em que os irmãos Batista e Saud revelam detalhes sobre o pagamento de propinas para obtenção de vantagens, e até mesmo aprovação de projetos no Congresso que beneficiam os negócios da família. B

Operação “Bocca”
A Polícia Federal realiza nesta segunda-feira (11) a Operação “Bocca” relacionada à delação dos executivos da J&F. Policiais Federais cumprem cinco mandados judiciais, todos expedidos pelo mnistro Edson Fachin. São quatro mandados de busca e apreensão, na cidade de São Paulo, e um no Rio de Janeiro.

O nome da operação é uma alusão à Bocca della Verità. A mais famosa característica da Bocca é seu papel como detector de mentiras. Desde a Idade Média, acredita-se que, se alguém contar uma mentira com a mão na boca da escultura, ela se fecharia mordendo a mão do mentiroso.

De acordo com informações divulgadas pelo G1, policiais deixaram a sede da PF, na Lapa, Zona Oeste da cidade, às 5h para ir a quatro endereços na cidade. Um deles é a casa de Joesley, no Jardim Europa, e outro, a casa de Saud, no Morumbi, ambos na Zona Sul.

O advogado e diretor jurídico da JBS, empresa do grupo J&F, Francisco Assis e Silva, também é alvo de mandado de busca e apreensão nesta segunda. Ele foi um dos negociadores do acordo de delação premiada e, depois, também virou delator.  Agentes da PF e do Ministério Público Federal também estão no Rio de Janeiro para cumprir mandado de busca e apreensão na casa do ex-procurador Marcello Miller, na Lagoa, Zona Sul da cidade.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix