Campo Grande/MS, Segunda-Feira, 11 de Dezembro de 2017 | 19:51
27˚
(67) 3042-4141
Reportagem Especial
Sexta-Feira, 03 de Fevereiro de 2017, 08h:32
Tamanho do texto A - A+

Com foco no ensino público, nem primeiro lugar em medicina na particular fez estudante desistir do sonho

A estudante começou a se preparar desde o ensino médio quando resolveu sair de Coxim para Campo Grande

Myllena de Luca
Capital News

Arquivo Pessoal

Com foco no ensino público, nem primeiro lugar em medicina na particular fez estudante desistir do sonho

 

O brilho no olho ao falar da futura profissão mostra o quanto este sonho seguiu por anos na vida. Lúcia Bulgareli Sada, de 19 anos, escolheu o curso que queria fazer desde criança e no 9º ano do ensino fundamental comunicou aos pais, o que dificilmente é feito nesta fase. Após dois anos de estudos a jovem passou para medicina na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS).

Lúcia morava em Coxim, Mato Grosso do Sul, quando decidiu que estudaria para passar em medicina. Sem ter noção do que era um vestibular, procurou informações e pediu orientação ao pai. “Como o meu pai já morava em Campo Grande, ele viu propaganda dos colégios. Ele falou que tinha um colégio muito bom que aprovava muito em Medicina, então falou para eu vir fazer o ensino médio”, contou a estudante.

Arquivo Pessoal

Com foco no ensino público, nem primeiro lugar em medicina na particular fez estudante desistir do sonho

No primeiro momento, jovem comemorou em casa com a família

Desde pequena, nas brincadeiras com a amiga, a jovem escolhia ser a médica da história e a admiração pela área foi crescendo. O ensino médio foi totalmente diferente comparado a Coxim, as aulas eram em período integral. “Tive um pouco de dificuldade no ensino médio, foi bem puxado pra mim”, comenta.

Mesmo passando por um colégio que preparava para o Exame Nacional do ensino Médio (Enem), no fim Lúcia precisou de cursinho. No curso, a jovem aprendeu a melhor forma de estudar que é “se virando sozinha”. “Eu aprendi a não depender tanto de professor e a fazer meu horário. Claro que o curso dá todo um suporte, mas eu fazia o meu horário”, conta.

"Era meu sonho, batalhei por isso"

Lúcia sempre foi dedicada e sistemática com os estudos, se organizando e aproveitando todo o tempo. Cada 45 minutos do dia eram dedicados a uma matéria, com 15 minutos de intervalo. Para a estudante, matéria dada era matéria estudada.

Além dos exercícios do cursinho, Bulgareli baixava provas com acesso a internet. “Sou a pessoa dos resumos, tenho uma pasta maravilhosa somente de resumos das matérias. Adoro fazer mapas também, tudo organizado dividido por matéria e por área”, brinca a estudante.

Após um ano de estudos dedicados somente ao Enem, Lúcia passou em primeiro lugar no curso de medicina em uma universidade particular. Mesmo assim continuou a caminhada, pois não era o sonho nem foco começar em uma faculdade privada.

Arquivo Pessoal

Com foco no ensino público, nem primeiro lugar em medicina na particular fez estudante desistir do sonho

Estudante passou em primeiro lugar na universidade particupar

A estudante sabia que com mais um pouco de esforço conseguiria realizar o sonho de estudar em uma universidade pública. “Foi um pouco de orgulho porque na verdade nunca foi meu sonho estar em uma escola particular. Quando passei na Uniderp não foi nada extraordinário, não fiquei com o coração transbordando. Lá o curso é excelente e é o melhor curso da própria universidade, mas nunca foi meu sonho. Fora que não poderia pagar o valor”, comenta.

Durante os dois anos dedicados ao cursinho, os pensamentos vieram e a vontade de desistir da universidade pública bateu um pouco na porta do coração. Mesmo sendo preparada desde o ensino médio, foi no curso que houve amadurecimento.

Perseverança é uma das coisas que ajudou a estudante a construir o objetivo e não desistir de algo tão esperado. As dúvidas vieram e fizeram com que se questionasse muitas vezes, mas a vontade de vencer persistiu. “Tive confiança que Deus estava comigo. Era meu sonho, batalhei pelo meu sonho. Isso fez com que eu não desistisse”, desabafa.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix