Campo Grande/MS, Segunda-Feira, 19 de Fevereiro de 2018 | 08:12
27˚
(67) 3042-4141
Rural
Segunda-Feira, 12 de Fevereiro de 2018, 11h:09
Tamanho do texto A - A+

Assistência técnica ajuda produtores a dobrarem produção de leite

Mais de 30 técnicos de campo atenderam 743 propriedade em Mato Grosso do Sul

Esthéfanie Vila Maior
Capital News

Senar MS

Assistência técnica ajuda produtores a dobrarem produção de leite

Nas propriedades assistidas pela AteG Mais Leite, a média registrada é de 8,23 litros/dia

Foram produzidos mais de 24 milhões de litros de leite pelos 743 produtores rurais atendidos pelo programa de Assistência Técnica e Gerencial – ATeG Mais Leite. os dados são do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar/MS).

 

De acordo com dados do IBGE, a média de produção das vacas em lactação é de 3,66 litros/dia, em Mato Grosso do Sul. Nas propriedades assistidas pela AteG Mais Leite, a média registrada é de 8,23 litros/dia. “Isso demonstra que as vacas estão mais saudáveis e bem nutridas. É mais eficiência produtiva, graças à orientação técnica”, aponta a coordenadora do Programa de ATeG Mais Leite, Bruna Bastos.

 

Segundo do Departamento de Assistência Técnica e Gerencial do Senar/MS, a produção média diária foi de 88,49 litros por propriedade, em 2017. “Isso é resultado dos ajustes nos manejos reprodutivo e nutricional, muitas vezes sem precisar de investimento financeiro. Assim o animal começa a expressar o potencial leiteiro”, complementa a coordenadora.

 

Na Fazenda Seriema, em Camapuã, a 120 Km distante da Capital, em janeiro de 2018 foi registrada a maior média de produção diária de todos os assistidos do Programa Mais Leite, total de 1.800 litros/dia. São 160 animais em lactação, com uma produção média de 11,25 litros/vacas/dia. Todo o leite produzido é destinado a um laticínio que abastece o mercado local.

 

O técnico de campo que atende a propriedade, Denis Faustino Alves, explica que para alcançar os resultados, foi necessário diminuir o número de vacas secas no rebanho, selecionando os animais com idade e produção. As vacas com menos de 5 litros de leite entram para descarte.

 

Além disso, o produtor pretende irrigar 25 hectares de pastagem e fazer silagem de sorgo todo ano para utilizar no período de estiagem. “O produtor solucionará o problema de alimento para época da seca, conseguindo ter uma produção constante o ano inteiro e com preço relativamente baixo do litro de leite produzido. Economizará em concentrado (hoje em torno de R$ 0,94 o quilo), pois fornecerá mais pasto”, esclarece o técnico.

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix