Campo Grande/MS, Quarta-Feira, 19 de Setembro de 2018 | 01:25
27˚
(67) 3042-4141
Rural
Domingo, 08 de Abril de 2018, 11h:23
Tamanho do texto A - A+

Baixa adesão de agricultores familiares para negociação de dívidas causa preocupação

Mais de 600 produtores e 19 associações em MS precisam buscar renegociação sob risco de perder a terra

Esthéfanie Vila Maior
Capital News

Agricultores familiares com pendências no Programa Nacional de Crédito Fundiário e Banco da Terra têm até 31 de julho para se inscrever na Dívida Ativa da União (DAU). O pagamento deve ser realizado até o dia 27 de dezembro de 2018.

 

Entretanto, a baixa adesão dos agricultores ao cadastro em Mato Grosso do Sul causa preocupação. A coordenadora do Crédito Fundiário no Estado, Tânia Regina Minussi, ressalta que os agricultores familiares devem ficar atentos aos prazos. Quem não se inscrever perde o desconto, que pode chegar até 95%, e tem risco de perder a terra.

 

A estimativa é de que 12 mil contratos estejam em situação de inadimplência em todo o Brasil. No Estado, são cerca 19 associações e mais de 600 casos individuais que precisam buscar a renegociação.

 

Além das dívidas rurais do Crédito Fundiário e Banco da Terra, a Lei n.º 16.606 abrange também o Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural (Funrural) e o Programa de Regularização Tributária Rural (PRR).

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix