Campo Grande/MS, Sábado, 21 de Outubro de 2017 | 23:53
27˚
(67) 3042-4141
Rural
Sexta-Feira, 22 de Setembro de 2017, 09h:49
Tamanho do texto A - A+

Com indústria de MS, Brasil pretende elevar comércio exterior de alimentos para 10%

Investimento de R$ 35 milhões, o Caimasul tem capacidade para abater 600 animais por dia, mas processará 400 na primeira fase

Flávio Brito
Capital News

Chico Ribeiro/Governo MS

Com indústria de MS, Brasil pretende elevar comércio exterior de alimentos para 10%

..

Mato Grosso do Sul vai ajudar o país a melhorar sua participação no comércio exterior de alimentos. A avaliação foi feita pelo ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Blairo Maggi, participou nesta quinta-feira (21), em Corumbá (MS), da inauguração do maior frigorífico de jacarés de cativeiro do Brasil e do mundo. Investimento de R$ 35 milhões, o Caimasul tem capacidade para abater 600 animais por dia, mas processará 400 na primeira fase.

Segundo Maggi, o empreendimento tem grande potencial para contribuir com o esforço do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) de elevar de cerca de 7% para 10% a participação do país no comércio mundial de alimentos nos próximos anos, disse o titular da pasta, na solenidade de inauguração.

“Nosso país é um grande exportador de produtos agropecuários. Hoje, exportamos cerca de US$ 85 bilhões por ano, o que representa em torno de 7% do comércio global de alimentos. Sabemos que não atingiremos 10% do mercado mundial apenas com algodão, milho, pecuária e soja. E este empreendimento se insere no contexto de vendermos mais para o exterior produtos com maior valor agregado, como o couro e a carne de jacaré de cativeiro”, destacou Maggi.

Em seu discurso na solenidade, que contou com a presença do governador do estado, Reinaldo Azambuja, do prefeito de Corumbá, Ruiter de Oliveira, e de parlamentares do estado e do município, o ministro ressaltou que a inauguração do frigorífico é um marco na história do Pantanal, especialmente na relação do homem com a natureza. “O uso sustentável dos recursos, no caso, o jacaré de cativeiro, significa uma nova oportunidade econômica para o Pantanal e para a gente pantaneira.”

Maggi enfatizou ainda a importância da Embrapa Pantanal na construção de projetos e de programas de desenvolvimento sustentável na região, apoiando, assim, o manejo adequado e responsável dos animais e a proteção do meio ambiente. “O Pantanal é um dos únicos lugares em que o homem não destruiu a natureza para sobreviver. Por isso, o homem pantaneiro merece todo nosso respeito e admiração”, acrescentou, cumprimentando a administração e a população pelos 239 anos de Corumbá.

Cadeia produtiva completa
O frigorífico Caimasul conta com processo completo da cadeia produtiva de jacarés de cativeiro, que vai da cria, recria, engorda ao abate com certificação do Serviço de Inspeção Federal (SIF), passando pela transformação em produto (carne e couro tratado em curtume) e venda.

O empreendimento emprega 70 trabalhadores e a previsão é que chegue a 150, quando estiver operando plenamente. A Caimbasul é reconhecida no mercado por alto padrão técnico e por ser empresa ecologicamente correta e socialmente ativa.

 

Caimasul/Divulgação

Frigorífico de jacaré

Estimativa é de que volume de abates seja de 400 toneladas por mês em 2019

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix