Campo Grande/MS, Sexta-Feira, 19 de Outubro de 2018 | 14:01
27˚
(67) 3042-4141
Rural
Sexta-Feira, 05 de Outubro de 2018, 17h:11
Tamanho do texto A - A+

Desequilíbrio entre oferta e demanda eleva preço do boi gordo

Mato Grosso do Sul fecha setembro com a alta da cotação do boi gordo superior a 5%

Flávio Veras
Capital News

Famasul

Desequilíbrio entre oferta e demanda eleva preço do boi gordo

Exportações de carne bovina in natura registraram 14,6 mil toneladas

O desequilíbrio entre oferta e demanda elevou o preço do boi gordo em Mato Grosso do Su. As informações da Unidade Técnica do Sistema Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária MS) apontam que a cotação em setembro deste ano apresentou alta de 5,68%, em relação ao início do mês.

 

No último mês, o boi gordo encerrou com valor médio de R$147,24/@, contra R$139,36/@ contabilizado no início de setembro.

 

Segundo os dados do Boletim Casa Rural divulgado essa semana, a valorização da arroba do boi gordo no estado, livre de Funrural e referente às negociações à vista, foi motivada pela oferta restrita de animais terminados e pelo desempenho positivo da demanda no mercado interno e externo. Em setembro, por exemplo, as exportações de carne bovina in natura registraram 14,6 mil toneladas, com alta de 43,3% em relação ao ano passado.

 

“Apesar da cotação em alta no mercado pecuário, não há a garantia de maior rentabilidade para o produtor tendo em vista que neste momento de pastagens precárias é preciso suplementar o rebanho, fato que eleva o custo da arroba produzida. A manutenção dos preços nos próximos meses irá contribuir para minimizar os gastos excessivos do produtor no período dos pastos secos” afirma o diretor-secretário do Sistema Famasul, Frederico Stella.

 

Confirmando a análise do diretor da Famasul, os dados do Cepea mostram, ainda, que no período entre janeiro e junho de 2018 o Custo Operacional Efetivo (COE) para o sistema de recria-engorda em Mato Grosso do Sul registrou alta de 4,7%.

 

 

De acordo com a Unidade Técnica do Sistema Famasul, a estimativa é que na primeira quinzena do mês de outubro, a alta permanecerá sustentada pelo consumo. 

NENHUM COMENTÁRIO

Clique aqui para "COMENTAR ESTA NOTÍCIA" e seja o primeiro a comentar!
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO

Trinix